Você está aqui: Home Cotidiano Defensoria quer saber quais problemas detentas possuem

Defensoria quer saber quais problemas detentas possuem

Defensores públicos: lógica de “facilitar acesso à Justiça”

Os defensores públicos começam na segunda-feira (20) um mutirão em Rio Branco para ouvir e atender 250 detentas do complexo Francisco de Oliveira Conde.

Serão dois dias de atendimento individual. A Defensoria Pública quer saber as principais reivindicações das apenadas, que geralmente reclamam das condições do presídio, maus tratos e a falta de ocupação. Elas reivindicam, por exemplo, a implantação de cursos profissionalizantes.

O defensor público Gustavo Medeiros informou que todos os processos foram estudados previamente e vão explicar para cada detenta como está a situação de cada uma com a Justiça. “Vamos explicar a elas todos os detalhes do cumprimento da pena e mostrar quando provavelmente vão sair”, disse.

O defensor Rafael Pinto, que também vai atender na segunda e terças-feiras, explicou que muitas presas reclamam que não recebem visitas de parentes. Para as presas estrangeiras, esse problema é bem mais complicado.

“Estamos dispostos a buscar ajuda em consulados e, no caso das presas do estado, levantar onde está a família que abandonou a detenta”, relacionou.

Depois dos atendimentos, a Defensoria montará um relatório e, dependendo do que for apurado, levará as reclamações para os órgãos competentes.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado