Você está aqui: Home Cotidiano Alunos fazem caminhada de pelo menos 3 horas até escolas

Alunos fazem caminhada de pelo menos 3 horas até escolas

Crianças ficam prejudicadas após incêndios a ônibus

Na região do Caquetá, no município de Porto Acre, crianças estão andando até três horas para chegar à escola. O ônibus que fazia o transporte desses estudantes foi incendiado na madrugada da última terça-feira (8), na garagem da Secretaria de Educação do Município.

O terror das facções vem conquistando espaça no interior do Estado. Porto Acre perdeu, em menos de uma hora, três ônibus escolares. Os veículos estavam estacionados esperando amanhecer o dia para levar os estudantes às escolas, quando bombas caseiras foram arremessadas.

Um deles era um micro-ônibus seminovo e fazia o transporte na parte urbana de Porto Acre, buscando as crianças nas áreas mais distantes das escolas. O veículo maior era exclusivo da área rural, transportava os estudantes dos ramais da região do Caquetá.

Porto Acre tem mais de 2 mil quilômetros de ramais e já faltavam veículos para o transporte escolar. Com menos três ônibus, a situação ficou crítica.

O secretário interino de Educação do município, Sérgio Back, informou que a prefeitura alugou um ônibus, mas não tem recurso para manter a locação por muito tempo. “Nossos recursos são poucos, mas estamos buscando alternativas para manter o transporte, não vamos deixar os alunos sem aula”, garantiu.

A diretora da escola Joaquim Falcão Macedo, Selma Adelino, no quilômetro 28 do ramal Caquetá, foi até a prefeitura na manhã dessa quarta-feira (9). Queria saber por que um dos ônibus que atende a escola não apareceu. Quando mostraram o veículo todo queimado, ela não escondeu a tristeza. A diretora conhece a realidade onde trabalha e sabe que aquele monte de ferro retorcido significa que muitos estudantes vão ter que andar vários quilômetros a pé para chegar à escola. “Antes nós pedíamos três ônibus, porque dois não dava. Agora, com apenas um, como vão ficar as crianças que necessitam do transporte? Vão ter que ir à escola e voltar a pé”, disse.

Na escola da professora Selma, estão matriculados 130 alunos. Como um dos ônibus não entrou no ramal, muitos estudantes faltaram. O outro ônibus, o que sobrou, fica lotado e o motorista está gastando o dobro do tempo para cobrir parte do itinerário do outro veículo. Mas, como não consegue chegar a todas as regiões, os estudantes estão indo a pé.

Tem criança que vai andar até três horas para chegar à escola. Antes, nos ramais secundários, eles já caminham até o ramal principal, porque os ônibus não entravam. Agora, vão ter que fazer todo o trajeto caminhando até que a prefeitura providencie um novo veículo.

Desde que começaram os ataques de facções 10 ônibus escolares foram incendiados e não houve reposição desses veículos.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado