Pacientes não conseguem vaga para consulta no Hosmac

Funcionária do hospital disse que responsabilidade é da Sesacre

Os pacientes que procuraram o Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac), neste início de semana tiveram problemas. Eles foram informados de que não abriu vagas para agendar uma consulta na unidade. A resposta recebida foi que deveriam voltar em outro dia.

“Nós chegamos umas 4 horas da manhã e quando chegamos tinha umas 35 pessoas já aguardando e o enfermeiro foi lá e simplesmente falou que não tinha aberto vaga no sistema e eu o indaguei perguntando se havia pelo menos uma previsão e ele disse que nem isso”, disse o marido de uma paciente, Paulo Augusto da Silva.

No local, teve paciente que chegou no dia anterior para guardar um lugar na fila e garantir uma data para consulta, mas a espera foi em vão. O pensionista Carlos Costa de Freitas chegou ao hospital às 17h desse domingo, dia 7. “Paguei um rapaz para vir comigo para eu não ficar aqui só e fiquei a noite toda, quando foi 22h o rapaz disse que não tinha ficha, eu tive que esperar o dia clarear para eu poder sair porque eu não ia sair sozinho por aí”.

Em menos de uma semana, essa é a segunda vez que o agricultor Raimundo Nonato Rocha procura o Hosmac para continuar o tratamento do filho. Eles moram há 55 quilômetros do centro de Rio Branco, no projeto Moreno Maia. Quando não toma os remédios e não consegue o acompanhamento médico, o jovem fica agressivo e o pai disse que é necessário até acorrentá-lo. “Vou ter que voltar de novo e não sei quando vou marcar isso, mas eu preciso marcar porque faltou o remédio ele fica agressivo. Eu tenho que pegar o meu filho e colocar na corrente”.

No hospital, uma funcionária explica os motivos de não haver agendamento. Segundo ela, quem disponibiliza as vagas é a própria Sesacre. “Hoje nós não vamos ter vagas, o enfermeiro já viu pelo sistema da Sesacre ontem à noite e não tinha vaga. Essas vagas estão difíceis porque os médicos da nossa unidade vão fazer uma reciclagem em um congresso em Recife, nem todos vão, mas uma boa parte sim e a outra vai ficar atendendo, mas eles já tem paciente demais”.

A Sesacre foi procurada para se manifestar sobre o assunto. O Diretor de Atenção a Saúde, Wilson Afonso Dias relatou que a escala de médicos será modificada para atender a demanda. “A Secretaria Estadual de Saúde está reestruturando suas equipes e o Hosmac é uma prioridade para nós e nós sabemos que tem um déficit de profissionais, mas também tem que melhor organizar essa escala dos profissionais na unidade”, explicou.

Quanto aos remédios, uma licitação está em andamento.