VII Quinzena da Mulher Negra acontece em Rio Branco

Evento debate luta da mulher negra

Entidades sociais, em parceria com a prefeitura de Rio Branco e Governo do Acre, realizaram na manhã desta terça-feira (16) a abertura oficial da VII Quinzena da Mulher Negra. 

Serão 15 dias de uma programação extensa com encontros, debates, rodas de conversas e capacitações com temas sempre direcionados a luta da mulher negra. 

“É muito importante que todas as associações, grupos de mulheres, participem dessas atividades que a gente está falando duma coisa real, de uma coisa que acontece no dia-a-dia, da violência obstétrica, da violência contra as mulheres, do feminicídio, das mortes das mulheres num estado que é altíssimo de violência contra a mulher”, explicou a gerente do Departamento de Políticas para Mulher, Lidiane Cabral.

Com o tema "vidas negras importam", a advogada Lúcia Ribeiro, vai ministrar a primeira palestra do encontro. “As mulheres negras, os homens negros, os jovens negros, são as principais vítimas dessa criminalidade e é importante pensar políticas públicas em termos universais, mas também especificas para poder corrigir essa distorção”.

Desde 2014, que no Acre, 25 de Julho é lembrado por ser o dia da Mulher Negra. A data foi instituída para fortalecer as ações voltadas a essas mulheres. 

 

 

VII Quinzena da Mulher Negra acontece em Rio Branco

Evento debate luta da mulher negra

Entidades sociais, em parceria com a prefeitura de Rio Branco e Governo do Acre, realizaram na manhã desta terça-feira (16) a abertura oficial da VII Quinzena da Mulher Negra.

Serão 15 dias de uma programação extensa com encontros, debates, rodas de conversas e capacitações com temas sempre direcionados a luta da mulher negra.

“É muito importante que todas as associações, grupos de mulheres, participem dessas atividades que a gente está falando duma coisa real, de uma coisa que acontece no dia-a-dia, da violência obstétrica, da violência contra as mulheres, do feminicídio, das mortes das mulheres num estado que é altíssimo de violência contra a mulher”, explicou a gerente do Departamento de Políticas para Mulher, Lidiane Cabral.

Com o tema "vidas negras importam", a advogada Lúcia Ribeiro, vai ministrar a primeira palestra do encontro. “As mulheres negras, os homens negros, os jovens negros, são as principais vítimas dessa criminalidade e é importante pensar políticas públicas em termos universais, mas também especificas para poder corrigir essa distorção”.

Desde 2014, que no Acre, 25 de Julho é lembrado por ser o dia da Mulher Negra. A data foi instituída para fortalecer as ações voltadas a essas mulheres.