DPE move ação para coibir o uso da imagem de pessoas detidas

Multa de R$ 10 mil reais é prevista a quem descumprir a medida

A Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC), ajuizou nesta terça-feira, 13, uma ação civil pública contra o Estado do Acre, com pedido de tutela de urgência para a proibição do uso de imagem de presos provisórios, por meio da exposição involuntária, excessiva e sensacionalista nos meios de comunicação.

O pedido da DPE/AC tem por objetivo coibir a exposição indevida da imagem de pessoas presas ou detidas provisoriamente, veiculadas pelos meios de comunicação ou por agentes públicos.

A ação protocolada pelos defensores públicos, Celso Araújo, Juliana Caobianco e Cássio Tavares, busca garantir o direito à honra, à imagem e ao estado de inocência, presentes na Constituição.

A medida também requer que somente sejam divulgados os nomes das pessoas presas ou detidas provisoriamente e a descrição dos seus atributos físicos, juntamente com os fatos imputados, sem qualquer divulgação de imagem ou foto.

Caso ocorra decisão favorável, o Estado, por meio dos agentes públicos, deverá explicar de maneira clara e explicita as razões para a exibição de foto ou imagem, salientando a utilidade da exposição para o processo criminal.

O descumprimento, seja pela divulgação ou facilitação das imagens, resultará também na fixação de multa no valor R$ 10 mil reais.