10 Outubro 2017 Written by 

O governador Tião Viana vai ter que botar em cima da mesa demandas muito claras: estruturação da Polícia Federal em áreas estratégicas e fortalecimento do Exército em toda fronteira. Além disso, a criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública.

Por quê?

Qual a lógica de Tião Viana em trazer para o Acre uma discussão sobre narcotráfico? A resposta não é simples e nem há sentença direta e única. Há vários fatores que ajudam a explicar o esforço o governador.

Prestígio

O encontro realizado aqui é uma óbvia demonstração de prestígio. Não se organiza uma agenda com presidente da República, presidente do Supremo Tribunal Federal e presidente do Congresso sem prestígio. É preciso tê-lo e em alta conta. Isso, sem contar com a presença da procuradora-Geral do Ministério Público Federal, Raquel Dodge.

Justificativa

A agenda comum dessas autoridades para o Fórum que vai debater Segurança Pública e Narcotráfico no dia 27 de outubro no Acre é o reconhecimento claro de que a Amazônia (em especial o Acre) tem servido como entrada livre de cocaína vinda dos dois maiores países produtores, Peru e Bolívia.

Rota Solimões

A Rota Solimões tem o Acre como região estratégica. O Exército Brasileiro tem informações estratégicas sobre essa rota, cuja hegemonia da facção Família do Norte é observada já há algum tempo.

Praticidade

O governador Tião Viana vai ter que botar em cima da mesa demandas muito claras: estruturação da Polícia Federal em áreas estratégicas e fortalecimento do Exército em toda área de fronteira. O Governo do Acre também defende a criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública. Como funcionaria esse fundo é algo que ainda precisa ser detalhado.

Vizinho estratégico

Nessas agendas que envolvem o Fórum de Governadores no Acre para debater Segurança Pública e Narcotráfico, Tião Viana leva a tiracolo o colega governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB). Companhia estratégica.

Temer que se cuide

É preciso que o cerimonial cuide para que os “aloprados” regionais não estraguem o brilho do ineditismo. Tem gente que já está acumulando (e balançando ovo) desde que se cogitou a vinda do presidente Temer. Agora com a confirmação...

Fica, Jesus

O presidente do PDT, Luiz Tchê, afirmou com todas as letras que o deputado Jesus Sérgio não deixará o partido e que será o candidato do PDT à Câmara dos Deputados.

Fica, Jesus II

“Jesus Sérgio elegeu três vereadores na região dele. É um político articulado e atuante. Você acha que vou perder um homem desses? Vou lutar até o último momento para ele permanecer no PDT”. Palavras do presidente Tchê.

Operação Fica Jesus

A operação Fica Jesus não sensibilizou o grupo político do deputado que entende que, como presidente de um partido, as oportunidades dele serão ampliadas. Além disso, Jesus Sérgio padece por pertencer à base governista, quando os eleitores dele são de oposição e cobram uma postura mais combativa.

Torce o rabo

Se a CPI das PPP’s sair “duvera”, a porca vai torcer o rabo! Passado na casca do alho, o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), que sabe a forma de agir da base governista, já avisou que não vai ter mimimi. Se a situação se apropriar dos cargos de presidente, vice-presidente e relator para implodir a CPI, como fez com a CPI da Sehab, ele comandará uma investigação paralela e apresentará um relatório paralelo.

Perigo

A base governista sabe que está em risco a partir dessa promessa. O relatório paralelo não tem força para modificar nada, mas, mostra tudo aquilo que querem esconder. Os partidos ligados ao PT sempre utilizaram esse expediente em âmbito nacional, quando eram minoria. Ensinaram o caminho!

BR-364

O tema BR-364 é lembrado em todas as sessões legislativas. A tal ponto, que um funcionário da Casa comentou: “Se BR pudesse ser pavimentada com discursos, não haveria mais um ramal sequer no Acre sem asfalto”.

Água dura

Deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS), finalmente, conseguiu seu objetivo de levar a equipe do governo a analisar a proposta dele de transformar o Pró- Saúde em autarquia. Primeiro, o parlamentar foi com jeitinho. Tentou de todos os modos. Finalmente, quando viu que a coisa não ia, apelou. Usando a tribuna da Assembleia, disse em alto e bom som que sairia da base do governo e ainda levaria com ele o irmão, vereador Raílson Correia. Atingiu o objetivo, o que mostra que jamais se deve desistir no primeiro não... que, aliás, foi do líder do governo, Daniel Zen.

Fosco

E quem precisa urgentemente passar um verniz de educação é o líder do PT, deputado Lourival Marques. O parlamentar não consegue manter o debate no nível das ideias. Apela para a grosseria e fica muito mal na foto.

Terapia

Aliás não seria uma má ideia: a Mesa Diretora deveria contratar serviço de terapia para os deputados. O deputado Eber Machado (PSDC, por enquanto.) tem as lágrimas soltas. É conhecido como chorão. Já Lourival Marques (PT) necessita do serviço porque pode estar com sérios problemas fora da Assembleia e estar misturando as estações, porque não é possível que tenha sido acometido por um surto de grosseria assim aos 30 minutos do segundo tempo, do nada.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado