26 Dezembro 2017 Written by 

Para a oposição, o tema "agricultura" é mais caro. Por um simples motivo: o que ela propõe de diferente; de radicalmente diferente ao que já está em execução?

Natal

Como faz tempo que Natal e comércio rimam, alguns dados para mostrar o humor dos empresários do Acre. Tem para todos os gostos: alguns rindo; outros nem tanto e muitos outros chorando os resultados da edição 2017 da festa.

Natal II

Segundo a Associação Comercial e Industrial do Acre (Acisa), o segmento de confecção, calçados e assessórios, está tendo, no ano, um crescimento em torno de 8% e no mês 5%. Móveis e eletrodomésticos registram crescimento no ano em torno de 23 a 28% e no mês de dezembro 25% a 30%.

Super

Um segmento do comércio que chama atenção é o de supermercado: crescimento de 8%. O segmento é um dos que mais apresentou melhorias em qualificação na prestação de serviço no varejo regional. Isso, em si, já sugere maior nível de investimento por parte dos empresários. Isso, sem destacar a agressiva concorrência que existe no segmento.

Super II

É uma concorrência concentrada em três ou quatro empreendimentos, mas o fato é que a concorrência é agressiva no segmento. Só permanece quem apresenta ganhos reais ao consumidor (em duas palavras: preços bons) associado ao conforto, bom atendimento, boas instalações.

Oposição

A oposição não tem sabido conduzir esse debate a respeito da agricultura, aproveitando o factoide ocorrido com o presidente da Faeac, Assuero Veronez. Ao invés de apresentar ideias novas, com números que demonstrem algum novo cenário para o setor, fica puxando discussão a respeito de "liberalismo".

Fisiocratas

E tem mais: esse debate a respeito da agricultura não pode ser aquele do tipo "rastaquera" em que retoma a geração de riqueza ligada à terra como se fosse uma ideia nova. Os primeiros pensadores que mereceram o título de economistas estavam na França no século XVIII. Para os Fisiocratas, a "menina dos olhos" era a agricultura. O que os doutos (tanto da oposição quanto da situação) propõe como política pública para o Acre? Isso ninguém fala efetivamente.

Mais caro

Para a oposição, o tema é mais caro. Por um simples motivo: o que ela propõe de diferente; de radicalmente diferente ao que já está em execução? Frisando todos os determinantes: não se está falando de agricultura nos Estados Unidos; não se está falando de mecanização agrícola norteamericana e com todo obedecimento à legislação ambiental em vigor no país. Tendo isso como premissa, o que propor de "novo"?

OCA
A OCA completa 7 anos nesta quarta-feira (27). No Acre, foi um projeto gestado no governo de Binho Marques. No país, nasceu em São Paulo em 1997.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado