05 Fevereiro 2018 Written by 

O que o departamento de Estatística da Secretaria de Estado de Polícia Civil não pode é querer, por meio do boletim, unificar as versões nos meios de comunicação. Caso seja essa a intenção, o prazo de validade do periódico será curto.

Crônica anunciada

Boato dando conta de um UFC envolvendo o presidente do PSDB, deputado Major Rocha e o candidato do MDB ao Senado, causou frisson nas hostes políticas nesse início de semana. Mas, não passou de boato. Mas, do jeito que os ânimos entre os dois andam acirrados, é bom não duvidar que a troca de socos e pontapés venha a ocorrer.

Micos

Bem diz mesmo que quem muito fala, acaba dando bom dia a cavalo. O deputado Nicolau Júnior (PP) comprovou o ditado. Na homenagem ao presidente do Legislativo, por ocasião do aniversário de Ney Amorim, enquanto todos desejavam uma campanha vitoriosa e que anjos e querubins o protegessem, Nicolau desandou a falar de seu fracasso político, na primeira campanha dele. Criou um mal estar tão grande que a impressão era de ter introduzido um elefante na sala.

Mico II

Outro que introduziu um discurso enviesado foi o secretário executivo da casa. Adalcimar desandou a falar de funcionários que reclamam do presidente.

Campanha

Deputados que participaram da festa surpresa de aniversário para Ney Amorim desejaram sucesso político e aproveitaram para fazer um marketing dos candidatos de seus partidos.

Exagerado

O exagero ficou por conta de Jairo Carvalho (PSD) que, como pastor evangélico, cumpriu a incumbência de orar e abençoar o aniversariante. Na hora do fechamento da oração, Jairo pediu "meu pai, não esqueça de dar a vitória para o Petecão". A gargalhada dos presentes substituiu o tradicional Amém.

Livre

E Romero Jucá (MDB) teve o processo contra ele arquivado. Diz aí, leitor. Pode soltar o verbo. Gritar palavrão.

Apanhando

O Judiciário está apanhando mais que cachorro de índio nas redes sociais. Os abjetos auxílios à disposição dos magistrados, como auxílio moradia e auxílio material escolar, pegaram muito mal.

Açudes

O rompimento da barragem de um açude a 12 quilômetros do entroncamento de Xapuri (sentido Epitaciolândia) interrompeu o trânsito na BR-317. O evento reforça a necessidade de que o Imac deve ser mais transparente em relação à fiscalização das propriedades rurais. Vez por outra um açude tem a barragem rompida e os prejuízos e imprevistos só se acumulam.

Açudes II

No último episódio envolvendo a Peixes da Amazônia, cogitou-se que teria sido o rompimento de uma barragem de um açude que reforçou o problema de alagação no Complexo de Piscicultura. O problema da BR-317, registrado nesta segunda-feira (5) é mais um.

Estatística republicana

Uma coisa é preciso reconhecer: a Polícia Civil é um dos poucos setores do Governo do Acre que possui um departamento de estatística consolidado. Não é o ideal. Mas, tem. Já é um avanço. Nesta segunda-feira (5), foi feito o lançamento oficial de um boletim informativo periódico. A ideia é investir na transparência. Essa é a ideia.

Estatística republicana II

Mas, já começou mal. Um boletim informativo que se pretende republicano deveria ter a decência de trazer, pelo menos o histórico do ano. A primeira edição não traz registro de nenhuma morte. O que o departamento de Estatística da Secretaria de Estado de Polícia Civil não pode é querer, por meio do boletim, unificar as versões nos meios de comunicação. Caso seja essa a intenção, o prazo de validade do periódico será curto. Melhor nem ter começado. Se for para investir na transparência, que seja de forma republicana, correta, corajosa. Ou não façam.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado