06 Abril 2018 Written by 

Os militares estão cada vez mais decididos a manter e acirrar a Operação Cumprindo a Lei. As declarações de Emylson Farias na última reunião com a categoria foram decisivas para isso.

Reações

Durou pouco o mandato de Moisés Diniz na presidência estadual do PCdoB. O ex-deputado já entregou o comando do partido no Acre para o vereador Eduardo Farias, mais coadunado com o Governo do Estado e com o cacique vermelho, Edvaldo Magalhães.

Boquinha

E o Depasa virou mesmo feudo comunista. Edvaldo Magalhães entregou o cargo que nem esfriou, já foi preenchido por Moisés Diniz. Se quiser acabar com o PCdoB do Acre é só extinguir o Depasa.

Inaugurado

Os ouvidos do comandante da PM, Marcos Kinpara, foram inaugurados pelos gritos governamentais. O motivo foi a Operação Cumprindo a Lei, que mostrou para a população que os policiais do Acre não têm nem fardamento. Estão trabalhando de calças jeans. Quem estava por perto garante que os gritos foram bem altos. Altos mesmo.

Confuso

Talvez por conta dos gritos, o comandante da PM ficou tonto e tomou a decisão mais esquisita. Ele convocou toda a tropa para uma reunião na noite de quarta feira, na quadra do quartel. Os policiais permaneceram por uma hora e meia no local. Ou seja, durante uma hora e meia, a cidade ficou totalmente sem policiamento.

Não compareceu

E, o pior nessa história da convocação é que os policiais ficaram esse tempo todo aguardando o comandante em vão. Kinpara não apareceu. Ele foi demovido da intenção de anunciar punições. O setor jurídico do comando explicou que o comandante poderia se complicar (e muito) se tomasse essa decisão. O comandante, então, só mandou avisar que não iria. Tinha mudado de ideia. Cada um que voltasse para o seu posto.

Decididos

Os militares estão cada vez mais decididos a manter e acirrar a Operação Cumprindo a Lei. As declarações de Emylson Farias na última reunião com a categoria foram decisivas para isso. Emylson disse na cara dos militares que não iria conceder nada do que eles reivindicavam.

Interpretação

Os militares interpretaram a declaração como um aviso que as portas para os militares estarão fechadas nos próximos 4 anos. A revolta é grande.

Pouco caso

Os policiais afirmam que o pouco caso do ex-secretário de Segurança chegou ao ponto dele desfazer dos votos dos militares, dizendo não precisar e afirmando estar tranquilo, porque quando saísse da secretaria voltaria a ser delegado e que, como delegado, ganhava mais que como secretário.

Imagem

A imagem de Marcio Bittar abraçado a Wherles Rocha só é possível por um motivo: a perspectiva de poder. É essa ideia que tem força de juntar forças políticas antagônicas dentro de um mesmo grupo.

Áudio

Vazou um áudio esta semana do senador Petecão falando a respeito da performance de Bittar que mostra como o clima é, de fato. Mas, a perspectiva de poder cala tudo isso. Obriga a tolerância em nome de um projeto de poder.

Outra imagem

Outra imagem improvável em outros tempos é José Bestene referendando a filiação de lideranças indígenas no PP. Por aqui, só falta mesmo o poste urinar no cachorro.

Impressiona

Impressiona como nas manifestações de apoio ao prefeito as caras são as mesmas. A única novidade é a singela presença do ex-deputado Roberto Filho. Agora, é uma nova etapa que começa: campanha, campanha, campanha. Mas, inventam outro nome antes que a Justiça Eleitoral permita formalmente.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado