08 Maio 2018 Written by 

O nível do debate está construindo uma imagem equivocada: a de que o Governo do Acre vai tirar R$ 14 milhões de um cofre e entregar para a cooperativa de produtores. Não se trata disso.

Dom Porquito

A base de sustentação do Governo na Aleac, mais uma vez, mostra estar em falta de sintonia com a Casa Civil. Essa doação das ações da Dom Porquito para a cooperativa de produtores é mais um exemplo.

Que bicho é esse?

Qual é a polêmica? A polêmica existe por quê? Primeiro, é bom entender o que está acontecendo: o Governo do Acre aplicou R$ 18,125 milhões (Dezoito milhões, cento e vinte e cinco mil reais) na Dom Porquito em um arranjo produtivo regido por uma Parceria Público Privado Comunitária (PPPC). Foi dinheiro aplicado na construção do frigorífico e das unidades de engorda de cada um dos 55 produtores.

Não há dinheiro no escondido

O nível do debate está construindo uma imagem equivocada: a de que o Governo do Acre vai tirar R$ 14 milhões de um cofre e entregar para a cooperativa de produtores. Não se trata disso. Como foi dito acima: o governo já aplicou esse recurso na infraestrutura. O que existe atualmente são ações da empresa Dom Porquito S/A. O que o governo irá fazer é doar parte dessas ações para a cooperativa (a pretensão é doar R$ 14 milhões e ficar com R$ 4,125 milhões em ações).

Por quê?

O Governo do Acre, dessa forma, entende que vai possibilitar que os produtores ganhem tanto na engorda quanto no lucro líquido da empresa, já que a cooperativa passaria a ser, também, dona da empresa, com assento no conselho administrativo.

Mas...

Isso é o que tecnicamente pode ser explicado sobre a proposta do Governo. O que é bem diferente da versão apresentada na Aleac. Politicamente, não há convencimento sobre o assunto e até a base de apoio anda desconfiada com a proposta de doação de ações para cooperativa. O argumento é de que essa ação de governo beneficia os deputados Lourival Marques e Leila Galvão que têm base eleitoral na região da Dom Porquito.

Uma coisa...

Pobre Acre! Se a cada ação de Governo na área de economia o debate for fulanizado porque vai beneficiar deputado X ou vereador Y, aí não há debate possível. Isso é uma parte da coisa. É uma parte do problema.

Outra coisa

Outra coisa é a indisciplina em relação à defesa do projeto dentro da base de sustentação. A impressão que dá é que o Gabinete Civil está sem interlocução no parlamento.

Refresco

Mesmo pelo fato de o projeto já ter sido enviado para o parlamento desde o início do ano passado; mesmo pelo fato de os parlamentares terem ido à Dom Porquito e saído de lá satisfeitos no paladar e na intenção de aprovar o projeto de doação de ações às cooperativas; mesmo por tudo isso, em ano eleitoral, debate sobre desenvolvimento é refresco.

Precisa é...

O que a Dom Porquito precisa é se viabilizar e se consolidar: com capacidade de abater 1,6 mil cabeças por dia só consegue abater 200 animais. Há problemas mais urgentes que precisam ser resolvidos muito mais importantes do que saber se quem será mimado com voto é Fulano ou Beltrano.

Dúvida

Nos bastidores da política acriana, a pergunta que todos se fazem é: “O que o governador Tião Viana (PT) disse para o ex-deputado e atual presidente do Depasa, Moisés Diniz (PCdoB), que levou o comunista a ser levado às pressas em uma ambulância do Samu, para o Pronto Socorro, com suspeita de infarto?”

Dúvida II

Comunistas e petistas juram que o ataque com pico de pressão aconteceu antes de começar a conversa. Na antesala do gabinete do governador. Mas, o pessoal do Samu tirou Moisés Diniz de dentro do gabinete. No mínimo, uma estranha coincidência. Ainda bem que Diniz está se recuperando e vai poder contar o que houve, em breve.

Besteirol

Esse áudio que a oposição anda tentando divulgar para provar que Nil Figueiredo está fazendo campanha antecipada é uma grande besteira. O áudio nem dele é. Por essas e outras semelhantes que a oposição perde a credibilidade. Além disso, alguém pode explicar esse medo do Nil Figueiredo?

Ausências

Por onde andavam os deputados da base de sustentação do governo quando o Executivo precisou deles? Essa é a segunda pergunta que está incomodando. O líder do governo precisou retirar da pauta o projeto de doação das ações do Dom Porquito porque os deputados da base abandonaram a sessão. Estranho!

Muda

Prefeita Socorro Neri foge das perguntas dos repórteres sobre o pedido de aumento da tarifa de ônibus, como o diabo foge da cruz. Mau sinal! Se tivesse posição decente a manifestaria. Mais uma do lado dos empresários? Chamem a Yolanda Fleming de volta.

Corajosa

Yolanda Fleming foi a única mandatária a enfrentar a turma de empresários do transporte coletivo. Ao assumir a Prefeitura de Rio Branco, deu uma canetada e acabou com o monopólio. E é do MDB, viu Socorro Neri? (Partido original da prefeita da Capital).

Identidade

Dizem que a crise ideológica da prefeita Socorro Neri se deve às mudanças de partido (que não foram poucas). Socorro tem raízes no MDB. Passou pelo PSDB e acabou no PSB. A inconstância da prefeita levanta a suspeita que ela pode vir a optar por outra sigla. Muitos acham que o REDE de Marina Silva e Minoru Kinpara pode pescar a prefeita. Ver para crer.

New Trump

O ex-ministro Joaquim Barbosa (PSB) seguiu o exemplo do presidente dos E.U.A e anunciou, via Twitter, sua decisão de não disputar mais a Presidência do Brasil. Sem densidade eleitoral, o ministro era mais um que tentava surfar na onda da Lava Jato. Não vai fazer falta.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Foto de ilustração: Site 3 de Julho 



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado