Sábado, 15 de Junho de 2019
28 Maio 2018 Written by 

Leitor faz contato com site denunciando que o Hospital do Câncer está com falta de medicamentos. Falta até morfina. A Secretaria de Estado de Saúde nega que esteja faltando a medicação.

Dilema

O PHS é um dos partidos nanicos que orbitam em torno do PT, mas a vontade de apoiar a oposição nessa eleição é no corpo todo. Só não têm coragem de romper oficialmente. Pelo menos, por enquanto.

Dilema II

Pela vontade da maioria do PHS, o partido se uniria ao PSL do coronel Ulysses e Jair Bolsonaro. Formado por maioria evangélica, o PHS está só na dependência do aval dos pastores para optar por um caminho.

Referência

Quando se lembra que foi a Assembleia de Deus quem garantiu as sucessivas eleições de Eduardo Cunha (MDB), tem-se a dimensão do que é a mistura de religião com política. Cunha, cassado e preso, tem no currículo o recebimento de propina do escândalo da Petrobras e do FGTS.

Diferença

Na FPA, a indefinição do PHS é vista com ironia: “Um partido com essa militância toda, com essa capacidade de mobilização, vai fazer muita diferença na eleição”, brincam.

Nomes

Mas, o PHS apresenta três nomes fortes para o legislativo estadual: Júlio Farias, presidente do sindicato dos caçambeiros, que na eleição passada disputou pelo PCdoB, Chico Viga, ex-deputado estadual e Roberto da Copesserge. Os nomes são fortes. Só depende das alianças.

Surfando

Júlio Farias, aliás, está surfando na onda da greve dos caminhoneiros e vai contar com o apoio da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros) que tem 600 mil caminhoneiros cadastrados. Assim como a Polícia Federal, a Abcam pretende eleger o maior número possível de representantes.

Exemplos

Aliás, a Polícia Federal que lançou mais de 80 candidatos, pegando carona na superexposição da Operação Lava Jato, tem seu calcanhar de Aquiles, bem pronunciado. Além dos casos de truculência e abuso de autoridade espalhados pelo país, tem até caso de mortes em troca de tiros com a PF, em boates e barzinhos. Casos ocorridos inclusive no Acre.

Exemplos II

Como se não bastasse, alguns dos seus expoentes são o Japonês da Federal que desfila de tornozeleira e Jamil Asfury, apeado da secretaria de Estado de Habitação, no meio do turbilhão de denúncias de participar de um esquema criminoso de venda de casas.

Camarão, não

Infeliz a frase de Tião Bocalom (PSL) quando afirmou que no grupo dele não será admitido o “voto camarão”: quem votar nos candidatos do partido terá que votar em Jair Bolsonaro. O problema é que é exatamente dessa forma que os adversários de Bolsonaro se referem ao eleitorado do polêmico presidenciável: Cabeças de Camarão. Porque o camarão não tem cérebro e tem o intestino na cabeça. É bom ter um pouco mais de cuidado com o que se fala.

Morfina

Leitor faz contato com site denunciando que o Hospital do Câncer está com falta de medicamentos. Falta até morfina. A Secretaria de Estado de Saúde nega que esteja faltando a medicação. Assegura também que não há falta de nenhum outro remédio. Está tudo bem por lá nessa área. Foi a Sesacre que disse.

Pelo sim, pelo não

Por vias das dúvidas, fica o registro. E o canal aberto para que outras reclamações em busca de direitos sejam observadas.

Natex

Até agora, nenhum anúncio governamental sobre as providências do Governo em relação à empresa.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado