31 Maio 2018 Written by 

Em junho, completa-se 10 anos da criação do Iapen e da função de agentes penitenciários do Acre. Em 10 anos, 7 agentes foram assassinados devido à função que exerciam no sistema de Segurança Pública.

Descontrole

Cruzeiro do Sul dormiu crivada por balas. O trabalho de cerca de 100 policiais civis e militares fez com que 85 pontos de tiro fossem registrados na noite de quarta (30). Há relatos de que os criminosos ligados às facções tenham uma AK-47. A casa de um policial militar foi completamente destruída e em três casas de agentes penitenciários foi tentado o incêndio. O cenário é de guerra.

Sem surpresas

O Governo do Acre não foi surpreendido. O governador Tião Viana até já tinha adiantado que haveria essa “interiorização” das forças de Segurança Pública em função da migração do crime para as cidades do interior. E nenhuma melhor que Cruzeiro.

Cruzeiro

Uma cidade com alguma rede de serviços à disposição, em fronteira aberta com o Peru e ponto estratégico para o tráfico fluvial para o Amazonas. É a “menina dos olhos” para o tráfico. Compõe uma rota já identificada pela Polícia Federal e pelo Exército.

O que falta?

Falta uma decisão política de efetivamente se investir em segurança das fronteiras. O Exército é uma instituição importante demais para o Acre para ser o que atualmente é. A responsabilidade não pode recair aos atuais comandantes dos batalhões. Aqui, eles apenas executam determinações já definidas em Brasília. Os melhores quarteis, os melhores quadros, a melhor infraestrutura de comunicação deveria estar em estados de fronteira. Não em Brasília ou Rio de Janeiro. Isso já foi falado aqui neste espaço.

85

O resultado dessa ausência do Governo Federal, associado aos problemas de gestão do Estado do Acre, é descontrole. Um exemplo: ano passado, 85 agentes penitenciários foram expulsos das casas onde moram por integrantes de facção criminosa. Só em Rio Branco. É pânico total. Em junho, completa-se 10 anos da criação do Iapen e da função de agentes penitenciários do Acre. Em 10 anos, 7 agentes foram assassinados devido à função que exerciam no sistema de Segurança Pública.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Foto de ilustração: O Alto Acre



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado