Terça-Feira, 21 de Maio de 2019
30 Abril 2019 Written by 

Em nota com críticas contundentes ao Governo Federal e ao Governo do Acre, PT volta à antiga retórica da divisão de classes e frases de efeito contra Estados Unidos. A nota cheira a anos 80

Emprego

A geração de emprego formal no Acre no primeiro trimestre de 2019 foi pior do que o de 2018. O saldo líquido do emprego formal por grandes setores da economia acriana tem como referência o Cadastro Geral de Empregos e foi detalhado pela equipe da Faculdade de Economia da Ufac.

Construção

Em números absolutos, o segmento do Comércio foi o que apresentou números totais mais baixo, seguido da Construção Civil.

PT

Esse cenário de economia desaquecida e desemprego foi lembrado ontem em uma contundente nota do PT do Acre, conclamando os trabalhadores à reflexão para este 1º de maio. O desemprego no país e no Acre, a Reforma da Previdência, a agenda de privatizações do Governo Federal; críticas à Operação Lava Jato e às consequências políticas oriundas dela são os pontos de destaque do documento.

Velho PT

A nota é muito bem escrita. Sem os erros comuns em um material tão extenso. A retórica de críticas à hegemonia norte-americana e ao projeto de revisitação da Doutrina Monroe (“a América para os Americanos”), na concepção do presidente Trump do “America first”, remontam a um tom no discurso petista que há muito tempo não se via.

Relação

A nota relaciona a atuação da Operação Lava Jato a um projeto arquitetado nas pranchetas norte-americanas de hegemonia do pensamento de direita no mundo. “Essa alegação já foi explicitada pelo assessor de segurança nacional do presidente Donald Trump, John Bolton, no caso da Venezuela. O objetivo final é fazer da América Latina um quintal econômico dos Estados Unidos”.

Inoperante

Sobre o governo Gladson, a relação é direta com Brasília. “Esse governo antinacional, fascista, entreguista, privatista e excludente de Jair Bolsonaro tem atuação análoga no Acre, conduzida pelo governador Gladson Cameli. Em que pese à inoperância nesses 120 dias, esse governo segue a mesma cartilha de entregar o Acre aos interesses das elites econômicas, retrair a economia local e excluir a classe trabalhadora”.

Cinco pontos

A nota faz cinco apontamentos em relação ao governo Gladson Cameli. Diz que o atual governador “segue a mesma cartilha de entregar o Acre aos interesses das elites econômicas, retrair a economia local e excluir a classe trabalhadora”.

Ineficaz

A nota preserva a atuação do ex-governador Tião Viana. Mas, ressalta que as medidas do atual governo têm sido ineficazes na geração de emprego e renda. “O governo cortou gastos, de forma correta, teve ampliação das receitas oriundas de repasses constitucionais da União, mas não investiu na economia local o resultado desse acréscimo de receita. Como consequências diretas, temos à redução de mil postos de trabalho, diminuição na arrecadação tributária própria, oriunda de impostos como o ICMS e retração do PIB”.

PSB

Ou o PSB tem maturidade para se remoer por dentro sem espatifar vômito para todo lado ou vai abrir novas feridas em uma Frente Popular que nem mais existe.

Menos

O presidente Bolsonaro quer acabar com punição para quem cometer crime na defesa da propriedade. A declaração foi dada na Agrishow, o evento agropecuário mais importante do país, realizado em Ribeirão Preto. Mas o excludente de ilicitude, já é previsto no Código Penal. As falas do presidente têm servido mais para aumentar o clima de instabilidade do que para trazer pacificação. Em todas as áreas.

Sugestões, críticas e informações  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado