Você está aqui: Home Esporte Boxe Chinês conquista cada vez mais adeptos no Acre

Boxe Chinês conquista cada vez mais adeptos no Acre

"Boa forma" e fuga da monotonia das academias

Cada vez mais as mulheres tem buscado esse esporte que trabalha todo o corpo e garante perca calórica incrível. A definição de boxe chinês é simples: uma forma chinesa moderna de combate corpo a corpo, um sistema de auto-defesa, e um esporte de combate.

Mas, para quem é praticante, vai muito além, porque trabalha todo o corpo. Tonifica a estrutura muscular, proporciona mais flexibilidade força e agilidade, melhora a coordenação física e mental, ensina sobre ter menor tempo de resposta e foco, além de passar valores de espírito desportivo e disciplina.

O boxe chinês tem ganhado cada vez mais adeptos, ou melhor, adeptas. Essa turma aqui é exemplo disso: Dos 14 alunos 8 são mulheres. Na academia não é diferente, do total de alunos inscritos no boxe chinês, 70% são mulheres.

E por que elas estão tomando espaço no esporte? Além da proteção pessoal, o boxe chinês também ajuda o praticante a adquirir boa forma. Em uma aula com duração de apenas 1 hora, é possível perder de 400 a 1000 calorias.

Mikaline Borges perdeu 12 quilos durante um ano, com aulas de boxe chinês. Ela explica que no processo de reeducação alimentar precisava se exercitar e foi na modalidade esportiva que alcançou o resultado que esperava.

"No início eu não fazia nenhuma atividade física porque não tinha ânimo. Com o boxe chinês, cada dia que eu ia tinha vontade de continuar. Continuei, não fiz nenhuma dieta rígida e perdi 12 quilos", afirma.

Segundo o professor Ady dos Santos, o esporte atrai o público feminino porque a proposta é diferenciada da rotina de academias. "Não é aquela coisa monótona. Muitas não gostam de musculação e vem fazer o Box Chinês que é uma aula nova, toda aula, um aprendizado novo", explica.

A estudante Talia Freitas de 18 anos também foi pra academia estimulada a perder peso com boxe chinês. "Eu perdi cinco quilos e foi maravilhosa a experiência. Não quero mais sair e quero continuar e talvez chegar a lutar", afirma.

O esporte é tão envolvente que alunos estão se profissionalizando. "A faixa que são as graduação no boxe chinês, são as estrelas que a gente coloca no calção, que vai do primeiro nível ao nono. De quatro em quatro meses tem graduação na academia", afirma o professor.

A funcionária pública Deusaline Damasceno fez a primeira aula, e garante que o boxe chinês vai fazer parte da rotina, pra ter segurança pessoal e boa forma. "Devido ao índice de violência na cidade, pode ser bem útil se precisar se defender e eu acho que é bem legal. Hoje, as mulheres têm procurado a modalidade, uma vez que só os homens que faziam né? Eu achei muito legal, por ser a primeira aula”.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado