Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019

INSS: beneficiários reclamam da demora

Agência do centro é a mais movimentada

Os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) reclamaram nesta segunda-feira (16) da demora e das dificuldades enfrentada no atendimento.

Na Capital, diariamente as agências do INSS recebem uma grande movimentação, desde os moradores de bairros distantes até pessoas de outros municípios que chegam cedo para garantir um atendimento que por muitas vezes não foi solucionado através da internet.

A agência do centro é a mais movimentada e também onde contém maior motivo de insatisfação para muitas pessoas. No local, o atendimento demora e a quantidade de funcionários é desproporcional ao tamanho da procura.

Por muitas vezes idosos precisam chegar às 4 horas da manhã para ficar no inicio da fila, e mesmo assim, alguns ainda ficam quase que a manhã inteira aguardando o serviço.

Ezequiel Severo, é hanseniano e tem 67 anos, recebe uma pensão do Instituto Nacional do Seguro Social para conseguir sobreviver. Atualmente mora em Acrelândia e veio para Rio Branco somente para tentar resolver assuntos da pensão e foi informado que terá que retornar outro dia.

“Esse mês o salário do mês de agosto não caiu e eu tive que vir, cheguei no banco e disseram que eu tinha que ir para caixa econômica, eu fui e quando cheguei a mulher disse que eu tenho que voltar para Acrelândia pegar um papel que está faltando e voltar para cá para ver se conseguem liberar... É cansativo”, disse Ezequiel.

Com o público da terceira idade os transtornos são grandes. Maria do Carmo, 77 anos, acabou de perder o marido e não conseguiu obter a pensão, agora ela não tem condições nem de providenciar um túmulo para o seu ente querido.

“Está com duas vezes que eu venho e não consigo nada, eles dizem que estão analisando, mas todo mundo diz que em 15 dias sai, mas o meu já vai fazer três meses e nada”, comentou Maria.

A história do Pedro não é muito diferente que há anos tenta receber um valor referente ao fundo Pis Pasep, mas infelizmente, só é mandando de um lugar para o outro e até agora nada. “Só a gente sabe o que passa aqui no INSS, eles ficam mandando a gente ir de lugar em lugar, vai para aqui, vai para acolá e nada se resolve, estou precisando do meu dinheiro”, falou.

O problema da demora no atendimento e a dificuldade exagerada nos processos, acontece nos mais diferentes benefícios. Erivete Silva, por exemplo, tenta há dois meses receber o auxílio reclusão, mas não tem sucesso em nenhuma das tentativas. Como cuida dos filhos, ela não pode trabalhar. A criança mais nova tem 11 meses de vida e está doente. Emocionada, a mãe chora por não ter condições se quer de comprar um remédio.

“Eu ligo no 135 o benefício está sempre ativo e mandam a gente se dirigir até a agência mais próxima, a gente vem no centro e mandam aguardar, você vai no banco e não tem nenhum centavo na conta. Essa situação já está com mais de dois meses e preciso comprar minhas contas, quero uma solução, esse INSS do centro é um caos para toda população”, concluiu Erivete.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081



Fique Conectado