Você está aqui: Home Política Nota ainda não é consenso entre caminhoneiros

Política

Nota ainda não é consenso entre caminhoneiros

Negociações ainda estão mantidas com governo

A Cooperativa dos Proprietários de Veículos e Máquinas Pesadas do Estado do Acre, a Transterra, divulgou uma nota de repúdio contra o atraso no pagamento por parte do governo. A dívida, segundo a nota, é de R$ 2,4 milhões. Ocorre que o tom da nota não é consenso entre a categoria.

“Nós estamos em negociação e esperamos que o governo seja sensível em cumprir o que está sendo negociado”, disse o presidente do Sintraba, Julio Faria.

A fala do presidente do Transterra, outro sindicato da categoria, vai a seguir na íntegra. Ainda não foi anunciada nenhuma resposta oficial do Governo do Acre sobre o problema.

NOTA DE REPÚDIO CONTRA O GOVERNO DO ESTADO DO ACRE

A TRANSTERRA, Cooperativa dos Proprietários de Veículos e Máquinas Pesadas do Estado do Acre, vem a público, através desta nota de repúdio, expressar sua insatisfação quanto aos constantes atrasos nos pagamentos dos contratos de prestação de serviços junto ao DERACRE.

É inaceitável que a administração estadual, até a presente data, acumule uma divida de mais R$ 2.400.000,00 (dois milhões e quatrocentos mil reais) com a Cooperativa, são valores que se acumulam desde 2016. O último pagamento recebido foi no mês de setembro de 2017. Já são 5 meses sem receber nenhum repasse do governo do estado, e as promessas feitas pelo Sr Cristovão, Presidente do DERACRE e pelas Sras Marcia Regina e Flora Valadares nunca foram cumpridas, fazendo com que o Governador Tião Viana caia no descredito com os cooperados.

A situação está insustentável, são 52 famílias afetadas diretamente pela má gestão do Governo. Vários cooperados já se encontram com seus veículos e suas maquinas escondidas, com mandados de buscas e apreensões expedidos pela justiça, por falta de pagamento das parcelas de seus financiamentos. Não temos mais a quem recorrer. Nossas famílias estão passando necessidade. Não estamos pedindo esmolas, só queremos o que nos é de direito, prestamos os serviços e precisamos receber.
Esse é o nosso meio de sobrevivência e esse atraso provoca transtornos desnecessários e muitas vezes vexatórios, pois nos impossibilita de honrar com nossos compromissos, acarretando juros, multas e outros encargos. Quem vai pagar tudo isso?
Em tempo, nos solidarizamos com todos os cooperados, que vem sofrendo com essa conduta que, infelizmente, se arrasta há meses por parte do Governo do estado do Acre.

Faz-se necessário um planejamento dentro da nova realidade, a fim de que seja apresentado pela Administração Pública estadual, com urgência, um calendário preciso de regularização dos pagamentos em atraso, pois do contrário, não nos restará outra alternativa, a partir do dia 15 de fevereiro, iremos paralisar os serviços e nossas maquinas serão levadas para as principais avenidas da cidade e só serão retiradas após o Governo apresentar uma solução definitiva. Chega de falsas promessas.

O recado da categoria está dado, se não nos apresentarem uma solução, iremos parar a cidade!

Rio Branco AC, 08 de fevereiro de 2018.

Francisco Adonay Maia Chaves

Presidente em exercício da TRANSTERRA

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado