Política

Para Jackson, vazamento foi “fogo amigo”

Áudio compromete campanha do vereador

O vereador Jackson Ramos (PT), pré-candidato a uma das cadeiras da Assembleia Legislativa, alega estar sendo vítima de “fogo amigo”. O parlamentar foi bombardeado nas redes sociais na semana passada quando vazou um áudio que tinha sido enviado para um assessor do secretário de Indústria e Comércio Sibá Machado. O áudio, que era uma bronca em Sibá, vazou na internet.

Jackson Ramos acusava o secretário de atrapalhar sua campanha, buscando pessoas que já tinham lhe prometido apoio. Segundo o vereador, os próprios assessores de Sibá se encarregaram de repassar o “recado” para as redes sociais para prejudicá-lo.

“A gente que trabalha direitinho, nunca espera que essas coisas aconteçam. Na verdade, se a tentativa era me prejudicar não vão conseguir. Eu trabalho duro. Quem me conhece sabe da minha índole”, declarou.

O vereador reclamou que dentro do PT não recebe o apoio necessário nas campanhas, trabalha sozinho e guarda mágoas sobre isso. Mas, continua trabalhando e não entende como um companheiro de sigla pode querer atrapalhar sua campanha.

E para completar o problema teve mais um fato de que ganhou repercussão negativa.
Nessa semana o Portal de Transparência da Câmara divulgou dois cursos que o vereador participou que custaram quase R$ 30 mil. O primeiro foi em São Paulo e outro em Brasília, no início desse ano. Jackson se defende afirmando que precisa de treinamento especializado para cuidar das finanças da Câmara, já que é primeiro secretário.

Na Câmara de Rio Branco, já virou prática comum vereadores viajarem ganhando gordas diárias. Todos os meses sempre têm parlamentares participando de algum evento, até particulares como o vereador que viajou para participar do aniversário do partido dele com dinheiro público.