Você está aqui: Home Política Governo se prepara para processo de transição

Política

Governo se prepara para processo de transição

Governador anunciou que PT vai ser uma “oposição vigilante”

Ainda nem tinha 100 por cento das urnas apuradas e os assessores de Gladson Cameli já comemoravam. Logo em seguida, o governador eleito concedeu entrevista coletiva e disse que nessa segunda-feira telefonaria para o governador Tião Viana, para conversar sobre a transição do governo.

Declarou que não vai procurar culpados pelos desmandos dos últimos anos no Estado e que os problemas do Acre agora passam a ser da equipe que foi eleita. “Nós vamos implantar uma política transparente. Todos os meus atos serão com transparência e tenham a certeza que não vou decepcionar quem me elegeu”, prometeu.

A entrevista seguiu o roteiro da campanha. Gladson repetiu não vai ser governo de um partido e vai ajudar as 22 prefeituras, independente de cor partidária.

Quanto aos atritos que marcaram a campanha da sua coligação explicou que a união na reta final de campanha mostrou que esse será o tom durante o governo.

Gladson adiantou que a primeira decisão de governo será uma reforma administrativa. “Temos muitos cargos comissionados e altos salários e vamos acabar com a perseguição a servidores”, prometeu.

Outro anúncio na coletiva: Major Rocha, eleito vice-governador, vai ajudar diretamente no combate à violência. Rocha informou que não pretende ser o secretário de Segurança Pública, mas vai trabalhar na pasta.

Na manhã dessa segunda-feira, quem também falou sobre a transição foi o governador Tião Viana. Ele informou que estava aguardando o telefonema de Gladson Cameli, para marcar os pontos de como será a transição.

“O governo vai colocar um pessoal técnico para passar todas as informações para a nova equipe com os dados necessários para que a nova equipe possa trabalhar tranquilamente”, anunciou.

Quanto à derrota nas urnas, o governador reconheceu a soberania do voto e não entrou em detalhes ao ser questionado onde ocorreram erros que levaram a perder o governo, e o PT a não eleger senadores nem deputados federais.

“Temos que respeitar decisão do eleitor. Agora, decidiram que deveria assumir outro grupo político. Isso é natural. Da minha parte quero agradecer ao acriano pelos dois mandatos de senador e de governador”, lembrou.

O governador garantiu que ainda vai entregar várias obras até o final do mandato e deixar os salários em dia e avisou que vai deixar dinheiro em caixa para o novo governo, e que está saindo da vida pública e que o PT vai ser uma oposição vigilante.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado