Política

Assembleia Legislativa do Acre homenageia mulheres

Dia Internacional da Mulher foi lembrado em sessão solene

Foi realizada nesta quinta-feira (14) a abertura da Sessão Solene em homenagem ao Dia Internacional da Mulher na Assembleia Legislativa do Acre onde todas as mulheres presentes no plenário receberam flores.

“As mulheres contribuem muito, porque elas são o nosso porto seguro. Eu digo que o fortalecimento de um homem e de uma família tem que ter o papel principal que é da mãe, da esposa, da pessoa que está lá para te ajudar e comandar”, afirma o Governador do Acre, Gladson Cameli.

“Infelizmente ainda tem que melhoras muito as leis em relação as mulheres e nós estamos para ajudar. Eu como presidente, na mesa da ALEAC, todos os deputados estão para ajudar em relação as mulheres”, diz o Presidente da ALEAC, Nicolau Júnior.

Na pauta das atividades dessa sessão solene está a homenagem aos trabalhos de auxílio às mulheres vítimas de violência doméstica ou familiar e a apresentação simbólica da minuta do projeto de Lei "Patrulha Maria da Penha”.

“O Estado do Acre tem ostentado números alarmantes de feminicídio, inclusive hoje somos o Estado com maior índice de feminicídio do Brasil, 3.2 casos para cada 100 mil mulheres. A OAB tem se debruçado dentro do seu plano estadual de apoio a mulher advogada, mas que não serve apenas para a mulher advogada, para o combate a essa violência”, explica o Presidente da OAB/AC, Erick Venâncio.

“A Comissão da Mulher Advogada vai fazer a entrega do projeto “Patrulha Maria da Penha” e o Botão da Vida para que isso possa em breve ser aprovado pelos deputados na assembleia. E agora o nosso empenho vai ser para que isso seja aprovado o quanto antes na assembleia que é a casa do povo”, diz a Coordenadora Estadual de Políticas para as Mulheres, Isnailda Gondim.

Presente, também, outras autoridades, parlamentares e as quinze mulheres que seriam homenageadas por trabalhos que objetivam auxiliar as vítimas de violência doméstica ou familiar.

“A OAB entende que essa luta não é só do governo, essa luta é da sociedade e a OAB como sociedade civil não poderia ficar ausente”, declara a Conselheira Seccional, Socorro Rodrigues.