Política

Jarude aguarda posicionamento do MP sobre reajuste do IPTU

No início do ano IPTU chegou com um aumento de 20% 

Casas, prédios, lojas comerciais... Não importa a natureza do imóvel, todos precisam pagar o Imposto sobre Propriedade Predial Urbana (IPTU). O tributo é cobrado a pessoas físicas e jurídicas que tenham posse, propriedade ou domínio de um imóvel. Já o preço é calculado por uma série de fatores, como valor venal, área do terreno e área construída, e localização.

Mas no início do ano, o valor do IPTU chegou com um aumento de, no mínimo, 20%. Segundo a prefeitura, não houve nenhum reajuste, e sim a retirada de um desconto que era disponibilizado de forma irregular.

Justificativa que não convenceu, em nada, o vereador Emerson Jarude. Ainda em fevereiro, durante uma audiência pública na câmara para tratar o assunto, ficou decidido que a prefeitura tinha um prazo de 60 dias para realizar uma sindicância interna que esclarecesse o suposto erro na base de cálculo do imposto. O prazo terminou e nenhum esclarecimento foi prestado.

“Apresentei um requerimento cobrando essas respostas que tinham um prazo de mais 45 dias e também não deram resposta”, disse o vereador.

Agora, o vereador aguarda um posicionamento do Ministério Público, já que na última semana, ele coletou todas as informações e documentos que teve acesso e oficializou a denúncia.

“Nós pedimos ao Ministério Público primeiro a investigação por ato de improbidade da prefeita Socorro Neri e segundo que seja imediatamente pedido a prefeitura para que diminua esses 20% e não repasse esse erro para os municípios de Rio Branco, não é o momento, a situação de Rio Branco é uma situação de crise financeira e nós temos que defender a nossa população e temos que ser parceiros da população e não agir de forma contrária a ela”, concluiu Jarude.