Política

Fraudes na AMAC é pauta na Câmara dos vereadores

Prefeita protocolou pedido de auditoria no Tribunal de Contas

As denúncias foram apresentadas ao Tribunal de Contas, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal. No conteúdo, irregularidades estariam sendo praticadas dentro da Associação dos Municípios do Acre (Amac). Lavagem de dinheiro, corrupção, peculato, enriquecimento ilícito e improbidade administrativa são alguns dos crimes apontados.

A resposta da prefeitura foi rápida. Socorro Neri, ainda na segunda-feira, protocolou no Tribunal de Contas um pedido de auditoria na Amac e no mesmo dia, Márcio Neri, coordenador da Amac e sobrinho da prefeitura Socorro Neri, pediu afastamento do cargo, o que foi prontamente atendido.

Na primeira sessão da semana na câmara dos vereadores, o assunto não poderia ser outro. Rodrigo Forneck (PT) líder da prefeitura na câmara se mostrou bastante satisfeito com a postura, posicionamento tomado por Socorro Neri. “Nós nunca queremos trabalhar com esse tipo de evento, com esse tipo de caso na administração, mas estamos sujeitos a isso e compete a nós, na câmara municipal, ao líder do executivo, tomar as providências como foram tomadas agora”, disse.

Situação e oposição se questionavam o que estaria acontecendo dentro da Amac. Sem resposta ainda para essa pergunta, a saída encontrada era uma só: que era preciso apurar antes de julgar, mas para o vereador Emerson Jarude, apesar da atitude da prefeita, casos dessa natureza precisam ser investigados por uma espera que vai além da jurisdição do Tribunal de Contas.

“O que nós queremos é investigação dessa empresa, o Tribunal de contas por mais que tenha a sua atribuição de investigar os contratos da AMAC, mas o que percebemos é que essa empresa é quem vem fazendo os possíveis crimes já noticiados na imprensa, então, o que nós queremos é a participação do Ministério Público e da polícia também para que assim possa investigar e elucidar os fatos já declarados pela imprensa”, concluiu Jarude.