Política

Superintendente Regional do MAPA é exonerado nesta terça

Mudança ocorreu por meio de indicação da deputada Wanda Milani

A dança das cadeiras continua nos órgãos estaduais e federais do Acre. Nesta terça-feira, o então Superintendente Regional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) foi exonerado. Francisco Luziel Cunha de Carvalho deixa o cargo para a entrada de Fernando Renan Kappes Bortoloso.

A mudança ocorreu por meio de indicação da Deputada Federal Wanda Milani e foi publicada no Diário Oficial da União. Luziel Carvalho ficou por três anos a frente do Mapa e foi indicado ao cargo por Gladson Cameli, quando ainda era senador. Ele apresentou um relatório do trabalho realizado no ministério e fez um balanço das ações neste período.

Apesar de ser indicação política, o agora ex-superintendente disse que é natural essa troca de comando e que não há falta de diálogo com o governo do estado.

“Tudo o que nós fizemos nesses três anos a frente do Ministério da Agricultura criando pautas positivas colocando o Ministério da Agricultura, graças a Deus, em um patamar entre um dos órgãos público federais bem mais vistos no Estado do Acre com ética, transparência, respeitando o servidor e a sociedade”, disse o ex-superitendente do Mapa/AC, Luziel Carvalho.

O Acre possui hoje 3,3 milhões de cabeças de gado. A pecuária corresponde a aproximadamente 12% do PIB local, o estado tem cerca de quatro meses para retirar completamente a vacina contra a febre aftosa do seu rebanho.

Segundo o superintendente do MAPA, a sua saída do ministério pode comprometer este setor. “Nós estamos a quatro meses de retirar a vacina da febre aftosa, então, não se troca o superintendente dentro de um prazo tão curto desses para um passo tão grande que o estado do Acre vai dar, nós temos no rebanho bolvino acreano 3 milhões e 300 mil cabeças de gado, isso equivale a 4 bilhões e 400 milhões de reais, a pecuária do Acre é a terceira maior fonte de receita que o estado tem, ela equivale a 12% do PIB do estado do Acre, então, eu acho que o MAPA tem de irresponsabilidade, quem fez essa indicação, essa substituição, mas isso é um problema que a pessoa que está fazendo a substituição vai ter que resolver com o pecuarista, com o produtor que contrata a sociedade em estado geral”, explicou.

No estado, o governador Gladson Cameli nomeou Tião Bocalom como presidente da empresa de Assistência Técnica, Extrativista e Rural (Emater). Bocalom disse que agora pretende colocar em prática seu projeto: produzir para empregar. Para isso, vai focar no processo de auxílio ao homem do campo, para que ele saiba trabalhar de maneira que gere renda e alavanque a economia local.

“Nós queremos produzir, gerar trabalho, gerar renda e a assistência técnica é fundamental nesse processo porque é a assistência técnica que trata diretamente com o produtor rural, não adianta você mandar máquinas para o produtor rural se ele não sabe nem usar a máquina, então, a assistência técnica tem a obrigação de fazer isso. A assistência técnica vai olhar desde a escolha da área, a questão da mecanização, a questão do plantio, a questão da manutenção da lavoura, a questão da colheita, a questão da comercialização, tudo isso é assistência técnica quem faz”, falou Bocalom.

O agronegócio é a bandeira do atual governo para melhorar a economia. Bocalom relatou que pretende dialogar com outros órgãos e secretarias para incentivar o crescimento do setor. Para isso, explicou que a manutenção de ramais e estradas é essencial para ajudar os agricultores a escoar a produção. Além disso, quer incentivar a adesão de novas culturas no Acre.

“Continuar a trabalhar com a banana, mandioca e também montar uma cadeia produtiva para gente poder produzir e também industrializar, quer dizer, se falou tanto anteriormente de industrialização do Acre, mas industrializar o que se não temos matéria-prima, então, primeiro temos que pensar na matéria-prima, se nós tivermos um volume grande de produção de soja, evidentemente, teremos uma esmagadora de soja para fazer o óleo para poder sobrar o subproduto para ir para ração”, concluiu.