A história do sal

O sal é um mineral composto principalmente de cloreto de sódio, encontrado em muitas partes do mundo. Principal componente mineral dos oceanos, aparece também na forma cristalina, conhecida como sal-gema. Ele é essencial para a vida animal, embora seja visto como algo trivial, sem que se pense muito na sua produção ou na sua história.

Algumas das primeiras salinas datam de 6 mil anos atrás, na província chinesa de Shanxi, cuja água salgada, depois de evaporar no verão, deixava depósitos de cristais de sal. Conflitos entre estados produtores e consumidores foram comuns ao longo da história. Estabeleceram-se rotas de sal em todo o mundo clássico, e as cidades nessas rotas enriqueceram graças aos tributos exigidos dos comerciantes. Além de gerar fortunas privadas, o sal rendeu muito aos governos, pois normalmente era monopólio do Estado, que cobrava impostos (de modo semelhante ao que ocorreu com o petróleo no século XX). Ocasionalmente, o exército romano era pago em sal, de onde se originou a palavra “salario”.

O sal já foi considerado um presente dos deuses, objeto de mito e superstições. Era uma das oferendas encontradas em tumbas egípcias, no Vietnã, sal, água e arroz também são oferendas para a vida após a morte, no campo, o sal é símbolo de sobrevivência quando acontecem tufões, inundações e más colheitas. Nas religiões cristã e judaica, significa longevidade e permanência, pão e sal eram as oferendas para um novo lar, sendo o pão símbolo do alimento e o sal, de sua preservação.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*