5 resoluções de ano novo para a sua vida digital

Proponho ao leitor as seguintes cinco metas digitais para este novo ano.

Àqueles que conseguirem segui-las, garanto um 2022 digitalmente mais seguro e tranquilo.

Meta #1 – Manter seus aplicativos atualizados

Esta é, provavelmente, uma das metas mais simples e importantes que você pode cumprir. Tão importante que merece que eu escreva um texto apenas sobre ela – o que farei em breve.

O motivo é simples: atualizar os nossos programas de computador, apps de celular e sistemas operacionais (Windows, Android, iOS, entre outros) para as versões mais recentes nos protege de grande parte das ameaças virtuais do cotidiano – especialmente de malwares, como vírus e ransomwares.

Neste ano, então, reserve um tempinho – semanalmente – para deixar de ignorar aqueles avisos de atualização. E – por que não? -, deletar aqueles apps que você não usa mais.

Meta #2 – Ativar autenticação de dois fatores em suas redes e apps

Para proteger as contas das nossas redes sociais, e-mails, bancos e aplicativos, em geral utilizamos um mecanismo de segurança muito comum: as senhas.

A autenticação de dois fatores é um mecanismo de segurança adicional.

Em outras palavras, serve para que além da sua senha, os serviços também solicitem de você uma segunda forma de autenticação – pode ser um código enviado para o seu celular por SMS (mensagem de texto), por exemplo. Assim, sua conta permanece segura – mesmo que alguém adivinhe sua senha.

Te protege e não custa nada. Parece uma boa ideia usar essa proteção em 2022, certo?

Nas próximas semanas, farei um texto sobre como ativar essa proteção em variadas redes e apps.

Por hora, você pode dar uma olhada no Google. Mas se quiser se adiantar, habilitando essa proteção em seu WhatsApp, falo mais sobre o assunto no seguinte texto, que escrevi aqui na Gazeta Digital em novembro. É só clicar: 7 dicas para se proteger do sequestro de WhatsApp.

Meta #3 – Praticar o ceticismo digital

As fakenews – notícias enganosas que ganham veiculação massiva com a internet -, deixaram de ser mero inconveniente para se tornar um grave problema de segurança.

Fakenews não apenas enganam: também causam prejuízo financeiro, desgastam sua saúde mental e podem até matar.

Que neste ano consigamos praticar nosso senso crítico diante de notícias e postagens na internet.

Que seja possível resistir mais ao ímpeto de compartilhar uma notícia tendo lido apenas seu título. E que, em lugar de acreditar em tudo o que lemos, sejamos cidadãos digitais que, acima de tudo, questionam e buscam ativamente a verdade.

Meta #4 – Se manter informado sobre ameaças virtuais

Esta meta você consegue cumprir facilmente, se acompanhar meus textos semanais aqui na Gazeta Digital.

Phishing, invasões, clonagem de perfis, scams… A variedade de golpes é imensa, e estão em constante evolução. Mas o conhecimento salva, e quanto mais você souber a respeito dessas ameaças, melhor poderá se proteger.

Meta #5 – Cuidar melhor dos seus dados

Finalmente, termino com uma meta que envolve uma mudança profunda de paradigma.

Em nossa educação, fomos ensinados a simplesmente fornecer os nossos dados. Em todo site, aplicativo ou mesmo estabelecimento comercial físico.

Lá atrás, não parecia grande coisa. Hoje, a situação é caótica – empresas capturam, monetizam e entregam nossas informações sabe-se lá para quem. O governo não consegue proteger os dados que detém. E os golpistas fazem a farra.

Assunto extenso e para uma futura pauta. Mas vale – e muito -, se esforçar para ser mais consciente e responsável com seus dados pessoais, e os daqueles que você ama.

São as resoluções de ano novo que proponho para a sua vida digital. O desafio está posto – e um ótimo 2022 para todos!

Gustavo Cardial é especialista em Computação Forense, mestrando em Ciência da Computação e professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac)

Deixe uma resposta