Copa Verde 2021 apodreceu antes de amadurecer para os times do Acre

Semana amarga para o futebol do Acre, não que as expectativas eram exatamente tão expressivas assim. No entanto se esperava um pouco mais de empenho dos nossos representantes. Sabemos que as dificuldades são grandes e que ainda estamos muito longe da condição ideal, porém lamentavelmente é uma situação, até certo ponto, comum na região norte, em se falando de futebol.

A eliminação era um dos resultados possíveis, certamente que em uma partida de futebol nem sempre dá a lógica, muitas vezes equipes bem mais estruturadas, que entram como favoritas, são surpreendidas e perdem um jogo que em condições normais ganhariam com muita facilidade, o problema é a forma com que se perde, a falta de entrega, a displicência, não estou aqui querendo dizer que esse foi o comportamento de todos, mas ficou visível que faltou garra em boa parte dos nosso queridos atletas. Limitação técnica à parte é claro.

Iniciamos a nossa “Via Crucis” na terça-feira (19), lá na bela cidade de Belém do Pará. Após ter vencido na fase anterior a equipe do Ypiranga-AP na disputa de pênaltis, o Galvez foi goleado pelo do Remo-PA por 9 a 0. O resultado expressa a grande distância entre as equipes, apesar de não colocar em campo a força máxima, pois a equipe participa do Brasileirão da Série B, e julgou ser mais coerente não expor seus principais atletas na competição regional. Desta forma entrou em campo com um time composto por reservas e garotos da base…menos mal…se é que podia ser pior para o Imperador. Destaco e elogio, o pedido de desculpas do presidente do clube acreano, Edener Franco, que manifestou nas redes sociais a tristeza pelo trágico, como ele mesmo disse e eu concordo, resultado.

Em tom de despedida o dirigente citou inúmeras dificuldades e clamou por mais apoio, quer seja do Governo ou da iniciativa privada, para tirar o futebol acreano do buraco em que se encontra. Parabéns presidente, em não se omitir em um momento tão crítico. Foi a última partida oficial na temporada, agora a equipe só retorna aos gramados em 2022. Sem calendário nacional, terá que trilhar um duro caminho para voltar a competir fora do Estado.

O segundo ato desse tenebroso roteiro, aconteceu no dia seguinte. Foi a vez do Campeão Acreano, fazer a sua estreia. Dos três participantes, o Estrelão era o que aparentemente teria mais condições de avançar na competição. O fato de ter conquistado o estadual, ter se reforçado e também por mostrar uma boa evolução no decorrer da competição local, fez com que se projetasse um melhor desempenho. No entanto as expectativas não corresponderam à realidade, e infelizmente o Alvirrubro acabou eliminado após derrota por 4 a 1 para o Nova Mutum-MT.

Foi um dia para ser esquecido, teve atraso de quase uma hora do ônibus que levaria a equipe ao estádio, com isso a equipe chegou em cima da hora do jogo e não restou muito tempo para o aquecimento. O Estrelão só conseguiu se concentrar para o duelo no segundo tempo, no entanto o apagão da etapa inicial fez com que os visitantes construíssem o resultado positivo, abrindo três gols de vantagem. Para completar o dia fatídico, ainda perderam duas penalidades que poderiam ter mudado o panorama do embate. Agora é planejar o futuro com bastante calma. O presidente Neto Alencar terá tempo para resolver algumas situações de permanência e também de dispensas, pois em 2022 terá pela frente o Estadual Acreano, O Campeonato Brasileiro da Série B, A Copa do Brasil e a Copa Verde.

Fechando a semana de dores, na quinta-feira, foi a vez do Atlético-AC, que entrou em campo sendo o mais desacreditado dos três representantes, pelo longo período parado e completa falta de planejamento para a competição, de acordo com o treinador Dorielson Mendes. Porém eis a surpresa, o Galo foi a equipe que foi eliminada com mais dignidade, empatou no tempo normal em 1 a 1 e perdeu a vaga na disputa de pênaltis. Podem até falar que o adversário era uma equipe Sub-20, mas após 20 dias parados e juntando os atletas para a partida…na minha opinião a equipe celeste até se superou, palmas para os atletas e comissão.

Fechando a semana de dores, na quinta-feira, foi a vez do Atlético-AC, que entrou em campo sendo o mais desacreditado dos três representantes, pelo longo período parado e completa falta de planejamento para a competição, de acordo com o treinador Dorielson Mendes. Porém eis a surpresa, o Galo foi a equipe que foi eliminada com mais dignidade, empatou no tempo normal em 1 a 1 e perdeu a vaga na disputa de pênaltis, para o Aquidauanense-MS. Podem até falar que o adversário era uma equipe Sub-20, mas após 20 dias parados e juntando os atletas para a partida…na minha opinião a equipe celeste até se superou, palmas para os atletas e comissão. Vamos esperar uma nova postura pela frente, apesar de que a diretoria não terá vida fácil. Sem recurso e ainda negociando dívidas o futuro terá que ser de muito trabalho para mudar o atual cenário no Carijó, tendo somente o Campeonato Acreano para disputar em 2022.

Deixe uma resposta