Conheça o documentário “Pacto Brutal”, que conta a história do assassinato de Daniella Perez após quase 30 anos

Daniella Perez. Quase impossível não ter lido o nome dessa mulher durante essas semanas no Brasil. Uma jovem que foi vítima de um assassinato brutal no dia 28 de dezembro de 1992. Após quase 30 anos do crime, a HBO Max trás a história por meio de um documentário, chamado “Pacto Brutal”, dirigida por Guto Barra e Tatiana Issa.

Para começarmos a fala sobre o documentário, é necessário voltar há algumas décadas… E entender o que ocorreu com a filha da escritora, roteirista, produtora e autora brasileira, Glória Perez.

O crime ocorreu no final do mês de dezembro em 1992, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A atriz atuava na novela,  “De Corpo e Alma”, e interpretava a personagem Yasmin aos 22 anos de idade. Ela foi morta pelo companheiro de cena, Guilherme de Pádua, que interpretava o seu par romântico na novela, e pela assassina Paula Thomaz, que na época era esposa de Pádua.

De acordo com as informações do documentário, após a vítima terminar de gravar a última cena da noite da novela, o assassino, que possivelmente também estaria com a esposa escondida dentro do carro, perseguiu a atriz e a obrigou a entrar no automóvel, enquanto um dos acusados dirigia o dela.

Após horas do crime, o corpo foi encontrado em um matagal na Barra da Tijuca, com 18 perfurações, entre oito delas – que atingiram o coração. Além de perfurarem o pulmão e o pescoço.

ARQUIVO 20/07/2022 CADERNO2 / CADERNO 2 / C2 / USO EDITORIAL RESTRITO – Cena da série documental Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez, dirigida por Tatiana Issa e Guto Barra, com depoimentos de Gloria Perez. Foto HBO Max

Um fato que parou e chocou o país, e mesmo tendo acontecido há tantos anos, ainda impressionam muitas pessoas, que na época, eram mais jovens e recordam os fatos hoje. Todo o desdobramento da história foi visto com detalhes por toda a mídia, principalmente o dia do julgamentos dos assassinos. Guilherme de Pádua e Paula Thomaz foram condenados a 18 anos de prisão, mas deixaram o presídio após cumprirem um terço da pena, em 1999.

Sim, eles conseguiram sair muito antes do que era para ser… O documentário além de mostrar esse crime grave, que parou o Brasil, ele também mostra o quanto a Justiça é falha mesmo diante de um fato com tanta provas.

Sobre o documentário

O documentário “Pacto Brutal”, foi estreado no dia 21 de junho, com uma temporada. No início foram divulgados dois episódios – “A noite que Nunca Acabou” e “Os assassinos”, com 1 hora cada. Após algumas semanas, foi lançado os três últimos episódios: “Mãe Investigadora”; De onde vieram” e “Justiça” ?. Cada um com uma média de 1 hora por cada episódio.

Uma produção emocionante, com detalhes da história, fotos sem estarem desfocadas. Além disso, o documentário conseguiu trazer o máximo de familiares, amigos, policiais, delegados, entre outras pessoas que vivenciaram o crime naquele ano.

A obra  superou estreias nacionais e internacionais e se tornou a série original mais assistida da HBO Max no Brasil e na América Latina, de acordo com dados divulgados pela própria plataforma.

O documentário não trás as versões dos acusados, eles não participaram, os diretores da obra decidiram não ouvi-los. Eu concordo, até porque, já tem muitos lugares que estão dando palco para essas pessoas. Vale salientar, que a mãe, Glória Perez, não foi ouvida no dia do julgamento.

Agora, não posso falar mais, se não ire soltar mais “trocentos” spoilers. Mas te garanto, não irá se arrepender de assistir.

Ficou curioso? Quer saber o desfecho desse enredo? Curtiu a indicação? Se for assistir, poste uma foto e marque o nosso Instagram @agazeta.netac. e o meu pessoal @gisele_almeida000

Gisele Almeida é estudante de jornalismo e estagiária no site Agazeta.net

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*