O menino do pijama listrado: uma amizade durante a guerra

O protagonista Bruno mora próximo a um campo de concentração e faz amizade com Shmuel, um menino prisioneiro

O menino do pijama listrado é um filme de 2008, onde somos apresentados ao protagonista Bruno, de oito anos, que está se mudando de Berlim para a Polônia com a família, devido ao “trabalho importante” que o pai dele tem com o país. Lá, ele mora em um local onde encontra pessoas usando pijamas listrados e faz amizade escondido com um menino judeu chamado Shmuel. Bruno, sem saber, vive próximo a um campo de concentração nazista, onde o pai é comandante e seu novo amigo, Shmuel, é prisioneiro.

Bruno conheceu Shmuel após ficar entediado e dedicir caminhar próximo a sua casa, indo parar no que ele acredita ser uma fazenda, com pessoas usando pijamas listrados e vivendo com cercas ao redor. As pessoas no local, que Bruno não sabe que são prisioneiros condenados, estão em condições precárias: sujas, magras e definitivamente cansadas.

Bruno encontra Shmuel do outro lado da cerca, o menino tem medo dele mas com o tempo passa a se contar sobre como é a rotina daquele lado, Bruno então passa a levar comida para o novo amigo, além de jogos de tabuleiro, eles se encontram escondidos  regularmente.

É importante falar que o filme é retratado através do olhar de Bruno, uma criança ingênua que está diante de uma situação grave. O filme não mostra nenhuma cena envolvendo morte explícita nos campos. Mas em todo momento é possível identificar a situação que ocorre lá dentro, através de símbolos e falas dos personagens.

Um dos momentos mais marcantes da história do filme, é quando Bruno coonsegue uma roupa igual a dos prisioneiros e atravessa para o outro lado da cerca, ficando pela primeira vez do mesmo lado do amigo Shmuel. Seus pais percebem o desaparecimento do garoto e vão procurá-lo. Bruno acaba seguindo outros prisioneiros com o amigo, onde estão sobre supervisão dos sooldados nazistas.

A história narrada possui um conteúdo sensível e um final bastante chocante. Deixo aqui (como sempre)  alguns trechos para você conhecer melhor o filme, que está disponível na Netflix, e Amazon Prime.

 

“A infância é medida por sons, aromas e visões, antes que o tempo obscuro da razão se expanda”

“A pergunta certa é: se houvesse oportunidade, gostariam de viver em outro lugar?”

“Achei que não viria!”

“Às vezes, temos que fazer coisas que não queremos.”

 

 

Amanda Oliveira é estagiária de Jornalismo na Tv Gazeta e estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Acre

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*