Round 6: nova série da netflix é intrigante e viciante do início ao fim

Jogadores participam de um jogo mortal busca do prêmio de 45,6 bilhões de wons

Fotos: Divulgação.

A nova série sul-coreana da netflix é intrigante e viciante do inicio ao fim, com nove episódios intensos que nos levam a questionar até onde o ser humano é capaz de ir por dinheiro.

No início são 456 pessoas que aceitam participar de jogos misteriosos sabendo apenas que há um prêmio na quantia de 45,6 bilhões de wons, todos os jogadores como são chamados tem algo em comum, estão completamente endividados tanto com bancos e também com agiotas.

Os jogadores devem participar de brincadeiras coreanas infantis, algo considerável fácil e inocente, o que eles não sabem é que quem é eliminado das brincadeiras é morto friamente. Desta forma, a trama se assemelha a Jogos Mortais.

A cada jogador eliminado uma quantia em dinheiro é adicionada no grande cofre, até que no final reste apenas um ganhador. Diversos assuntos são abordados ao longo da trama, como violência, confiança, o limite da moral de cada um dos personagens.

Os jogadores precisam passar por seis jogos para receber o prêmio, a cada jogo diversos jogadores são eliminados, e há aqueles que assistem os jogos. Pessoas exorbitantemente ricas que fazem apostas em seus favoritos e os assistem fazer tudo o que for necessário para alcançar o dinheiro. “Você gosta de apostar em cavalos? Vocês são os cavalos” é dito em certo momento da história a um vencedor.

A estética da série mistura elementos infantis e cores vibrantes, além é claro das brincadeiras de criança o que torna tudo mais tenso de assistir, porque há muita violência presente, um contraste que não estamos acostumados a ver com cores tão vibrantes e brincadeiras infantis e claro você sabe que quem perder é eliminado.

Paralelamente aos jogos que acontecem em uma ilha secreta há uma equipe trabalhando para contrabandear os órgãos dos jogadores eliminados antes de seus corpos serem incinerados e há também a presença de um detetive policial que se infiltra na equipe.

A equipe é composta por pessoas com rostos vendados por máscaras com símbolos um círculo; um triangulo e um quadrado e há o líder que usa uma máscara diferente semelhante a um rosto humano modelado em 3D.

Round6 encerra com uma reviravolta que nem todos previram e deixa todos os pontos da trama amarrados, no entanto, aquele gostinho de quero mais fica presente. A série é classificada para maiores de 18 anos.

Luana Dourado é estudante de jornalismo e estagiária no site agazeta.net.

Deixe uma resposta