Da ‘caixa preta’ que Bocalom disse ter disposição para abrir, ele precisa ao menos dizer que já conseguiu encontrar a chave

COMEÇO QUENTE

Ano legislativo pode começar em um tom acima na Assembleia Legislativa do Acre. A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, responsável pela administração da folha de pagamento, não está cumprindo o que a Aleac definiu em lei no que se refere ao desconto em folha dos empréstimos consignados. Deputados de oposição não descartam judicializar o problema.

CASO CONCRETO

Há servidores da Segurança Pública que mostram o contracheque como prova do crime. A Seplag fornece o “espelho” do contracheque do salário do servidor que ainda será pago. E neste “espelho” está lá: desconto de 50% em consignados. Efetivado o pagamento do servidor e comprovado que a Seplag não vai cumprir o que a lei determina, a própria secretaria gerou provas contra si. E a oposição não vai recuar dessa agenda. A conferir.

É TUDO O QUE O SINTEAC QUER

Professores e demais servidores da Educação sem estarem vacinados contra a covid-19 não voltam às salas de aula. Esqueça o prefeito. Bocalom calculou mal a hora de ser “caxias”. O maior sindicato do Estado, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação, já está, na prática, em processo de eleição. O retorno das aulas sem oferecer segurança sanitária aos profissionais é a agenda perfeita para os candidatos.

“INCONSEQUENTE”

O adjetivo atirado nos ouvidos do prefeito pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Adaílton Cruz, será elogio diante do que estar por vir, caso o prefeito não recue da decisão. Não se toma uma decisão dessas sem ouvir o trabalhador. Simples assim.

METÁFORA

Operação Metáfora, executada pela Polícia Federal, apura indícios de crime em processo licitatório envolvendo o abatedouro Dom Porquito. De acordo com material divulgado pela Polícia Federal, uma empresa da região de Brasileia e Epitaciolândia é investigada por utilizar uma cooperativa, supostamente com o objetivo de fraudar licitação para o fornecimento de merenda escolar. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

FOCO

Paulo Santoyo, o empresário que representa o empreendimento na porção privada, deve ter um foco: mostrar que os cooperados estavam tendo lucros reais.

DIFERENÇA

Diferente da Acre Aves, a Dom Porquito ainda não teve o desenho administrativo concluído. Não foi efetivada a doação das ações da Dom Porquito para a cooperativa. Formalmente, só existem no organograma o Governo Estadual (por meio da Agência de Negócios do Acre) e os sócios privados.

ÓCIO

Só para constar, a capacidade de abate da Dom Porquito é de 800 animais por dia. Atualmente, abate 250 com o incremento de plantel vindo do Mato Grosso para complementar produção. Parte do volume abatido é, inclusive, exportada.

VERSÃO OFICIAL

Governo do Acre divulgou nota sobre a Operação Metáfora. Resumindo: disse que a operação da PF é resultado de auditorias feitas pelo próprio governo e, claro, apontou o dedo da culpa para a gestão de Tião Viana. Essa ideia de responsabilizar governos passados é um equívoco. Ao menos em tese, ninguém “herda” problemas. Quem se elege deveria conhecer os problemas, ter ciência deles. E mais: ter projetos para superá-los. Beira à mediocridade responsabilizar gestões passadas pela máquina pública mal conduzida no presente.

ÔNIBUS

Na conversa com dois motoristas não ligados à diretoria do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte de Passageiros e Cargas do Acre, fica a impressão: eles querem continuar trabalhando. O 13º salário atrasado, as férias e salários não pagos é claro que são lembrados. “Mas o que queremos é ter a garantia da Prefeitura de que nós vamos ter onde continuar trabalhando”.

BORA, BOCALOM!

No espírito de não ficar apontando o dedo da culpa para a gestão passada, Bocalom precisa apontar um caminho. Da “caixa preta” que disse ter disposição para abrir, ele precisa ao menos dizer que já conseguiu encontrar a chave. Apoio moral para os motoristas nesse cenário de instabilidade tem pouca serventia.

Sugestões, críticas, informações itaan.arruda@gmail.com

Deixe uma resposta