Depois de se reunir com o PSDB e garantir que o vice seria tucano, Gladson convocou a imprensa para desmentir e “repor” a verdade, ao modo dele. Disse que nada está definido em relação ao vice.

Espatifando

O senador Gladson Cameli (PP) é o tal que não precisa de adversários. Ele se derrota sozinho. A última dele… conseguiu jogar o PSDB para fora da aliança.

Espatifando II

Depois de se reunir com o PSDB e garantir que o vice seria tucano, Gladson convocou a imprensa para desmentir e “repor” a verdade, ao modo dele. Disse que nada está definido em relação ao vice.

Moleque

Esse é o adjetivo com o qual os tucanos estão carimbando o senador Cameli. A probabilidade é que o PSDB lance candidatura própria, até mesmo para que o partido tenha palanque para o candidato tucano à presidência.

Coletiva

Até uma entrevista coletiva já foi anunciada para a próxima segunda-feira (18), às 9 horas na sede do partido para tratar do assunto. O tom deve vir uma oitava acima.

Preferido

Depois que Antônio Malheiros declinou com toda a elegância possível, mas sem perder a força da negativa, o sonho dourado de Gladson Cameli voltou- se para outro conselheiro do TCE. O desejo dele atende pelo nome de Valmir Ribeiro.

Correria

O desmentido de Gladson teve o efeito de uma bomba no coração da oposição. Na manhã deste sábado, os líderes da oposição se reuniram na chácara Boi Cagão, de propriedade do senador Sérgio Petecão (PSD).

Preocupação

Preocupado com a perda de apoio do PSDB, caso o partido leve em frente a ideia de lançar candidatura ao Senado, Petecão tenta fazer um acordo, garantindo apoio para o candidato tucano à prefeitura da Capital.

Em círculos

A ideia do defensor público aposentado e liberal conservador de carteirinha, Valdir Perazzo, de escrever um livro sobre o ex-governador Wanderley Dantas não é levada a sério por um motivo bem simples: essa história já foi contada de trás para a frente e de frente para trás, embasada em pesquisas científicas, em dezenas de trabalhos que estão à disposição de todos nos departamentos de Economia, História e Geografia da UFAC. Não há ineditismo na ideia!

Mais do mesmo

Se houve uma adesão sem sal a um partido na história do Acre, essa adesão foi a de Marcio Bittar ao PMDB (de novo!). Público pouco e sem qualificação na rotina política local; a liderança nacional que referenda a reentrada de Bittar foi o senador Romero Jucá (tudo bem que é o presidente nacional da sigla… mas Jucá, no atual contexto… é de lascar!) e, para concluir: a retórica dos discursos traz o mais do mesmo em relação ao PT local e nacional.

Dizer o quê?

A verdade é que os atores da política não têm nenhuma novidade a dizer. E, infelizmente, isso não é uma exclusividade acriana. Tempos difíceis.

Sugestões, críticas e informações quentinhasdaredacao2@gmail.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*