Lideranças do PT se reuniram na manhã desta quinta-feira, feriado de Corpus Christi e da emancipação do Acre, para definir “os finalmente” das chapas que vão concorrer em 2018.

Reunião

Lideranças do PT se reuniram na manhã desta quinta-feira, feriado de Corpus Christi e da emancipação do Acre, para definir “os finalmente” das chapas que vão concorrer em 2018.

…de decisões

A chapa para o Governo do Estado está praticamente definida com Daniel Zen (PT), para o governo do estado e Emylson Farias (PDT) de vice. Jorge Viana (PT) e Ney Amorim (PT) para o Senado, com Nazareth Lambert (PT) e Márcia Regina (PV), como suplentes de senador.

Bem aceita

A chapa para governo é tudo o que a oposição queria. O PP já comemora antecipadamente a vitória. O partido entende que colocar Zen para disputar com Gladson Cameli, será um massacre.

Primeiro

É um primeiro “desenho”. Certamente, virão outros.

Quarteto Fantástico

Aliás, essa estratégia de colocar Emylson Farias (PDT), Nazareth Lambert (PT), Daniel Zen (PT) e Marcus Alexandre (PT) como nomes em uma espécie de “prévia virtual e informal”, discutida e analisada em colunas políticas e em botecos, tem dado certo.

Aliás

Enquanto a campanha formal não vem, os nomes dos quatro vão sendo, de uma maneira ou de outra, se consolidando no inconsciente do eleitor.

Sem prévias formais

A política atualmente desautoriza qualquer tipo de previsão com mais de 24 horas de duração. No entanto, a ideia de prévias no partido é algo que dificilmente se efetivará. O cálculo é de “risco mínimo”; de uma campanha muito vigiada e sem os patrocinadores de sempre.

Por isso…

Por isso, é possível que alguns que hoje se apresentam como candidatos a candidato majoritário, na verdade, miram na Câmara Federal.

Cabeças

A ala mais tradicional do PT entende que a crise do partido no Acre se deve muito mais à forma extremamente democrática do governador que às consequências da crise política nacional. Afirmam que o governador deixou as decisões políticas sob a responsabilidade de uma dupla desastrada. Se é possível citar nomes? Claro que é. Mas, não se conta isso assim… nem sob tortura!

Fiel a si mesmo

O deputado federal Wherles Rocha (PSDB) é um estranho no ninho tucano. Enquanto o partido dele defende as reformas, ele se posiciona contra. O partido defende com unhas e dentes as privatizações, mas, Rocha atua no sentido de revertê-las e, finalmente, se posicionou em favor das investigações sobre o ex-presidente do PSDB, Aécio Neves.

Bom lembrar

Nunca é demais lembrar que Rocha mantém simpatia e proximidade com outra ala tucana que não a do mineiro Aécio Neves.

Sugestões, críticas e informações quentinhasdaredacao@gmail.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*