O abandono da floresta, a devastação da vida e o esvaziamento da alma

Através de instalações que envolvem diferentes linguagens e mídias, “Depois do Fim” traz à tona discussões contemporâneas e emergentes sobre o inchamento urbano, o abandono da floresta, a devastação da vida e o esvaziamento da alma.

O projeto reúne obras dos artistas Antônio Alves, Fabiano Carvalho, Marina Byla, Natália Jung e Rosilene Nobre. A exposição vai até o dia 30 de outubro no Memorial dos Autonomistas, localizado na Avenida Getúlio Vargas, nº 309 – Centro, em Rio Branco. A entrada é gratuita

 

 


 

IDADE NOVA – Jornalista de primeira linha, mulher virtuosa, bonita, serena, cobiçada, educada e amada por todos que à conhecem. Falo dessa lindeza de pessoa, Alex Machado, que troca de idade nesse sábado (23.10). Parabenizo de forma especial essa linda criatura que amo de paixão!

 

A ARTE SECULAR DE TOCAR TAMBOR – Com mais de trinta anos de carreira e apresentações por todo Brasil com a banda Los Porongas, o músico Jorge Anzol ministrará uma oficina de rudimentos para tambores. A oficina terá como público alvo os integrantes das fanfarras e bateristas de Rio Branco. Em uma verdadeira imersão rítmica, os participantes mergulharão no fantástico universo dos tambores e sua história, os primeiros instrumentos musicais da raça humana. Sua realização acontecerá nos dias 24 e 25 de outubro no teatro Hélio Melo as 15hs. O projeto tem o financiamento da lei Aldir Blanc através da Fundação de Cultura Elias Mansur

 

UNALE, destaca trabalhos relevantes do deputado estadual José Luis, o TCHÊ. A comitiva da UNALE entregou para cada um dos deputados acreanos, um troféu comemorativo aos 25 anos da instituição. Ivana Bastos disse que a UNALE deve muito ao Acre e destacou o trabalho do deputado Luís Tchê, que presidiu a União por dos mandatos

 

“QUE SERÁ? SERÁ!” – Prestes a completar 80 anos, Edir Figueira Marques, lançou o livro “Que será? Será!” – Da dúvida à esperança na cura do câncer”. O livro é um testemunho dela sobre o agressivo câncer de mama, diagnosticado ano passado, ano pandêmico, que com a sua fé e esperança, se curou, seguindo logicamente todos os cuidados e tratamentos. Toda a renda do livro será destinada ao hospital do amor

 



Deixe uma resposta