MPAC vistoria obras do Into e Hospital de Campanha

Representantes fizeram visita técnica a convite do governo

Autoridades do Ministério Público do Acre (MPAC) vistoriaram, nesta terça-feira (26), o andamento das obras da segunda etapa do Instituto de Traumatologia do Acre (Into) e do Hospital de Campanha de Rio Branco.

A visita técnica, que reuniu a procuradora-geral de Justiça Katia Rejane de Araújo e os promotores de Justiça Glaucio Oshiro, Myrna Mendoza, Patrícia Paula dos Santos e Vanessa Muniz, foi um convite que partiu do governador Gladson Cameli.

O secretário de Saúde, Alysson Bestene e a secretária-adjunta de Saúde, Paula Mariano, também acompanharam a vistoria. O complexo hospitalar é referência no tratamento de pacientes com Covid-19 em estado grave.

Gladson Cameli destacou que preza pela transparência e agradeceu aos representantes do MPAC por terem aceito o convite para conhecer a estrutura e acompanhar a evolução das obras.

“Aqui tem dinheiro público e eu sou totalmente a favor da transparência e da prestação de contas de tudo que está sendo investido no Into e Hospital de Campanha. O Ministério Público tem sido um grande parceiro do Estado nos orientando a fazer tudo da maneira correta”, disse.

A chefe do MP acreano tem coordenado um intenso trabalho de fiscalização e orientação nos 22 municípios do Acre. No local, a procuradora-geral e os promotores de Justiça puderam acompanhar o 16º dia de obras do Hospital de Campanha, que deve ser entregue no próximo dia 10 de junho. A estrutura disponibilizará mais 100 leitos de enfermaria.

“Foi uma surpresa ver essa construção (Hospital de Campanha) erguida em tão pouco tempo e que será permanente. O mais importante é que está sendo célere, porque nos preocupa muito a evolução do quadro de infectados e a possibilidade da falta de espaço para o recebimento de pacientes. Estamos na expectativa que esta obra seja entregue na data prevista e reafirmo que estamos juntos com o governo nas orientações e recomendações. O momento pede a união de esforços das instituições e dos poderes”, frisou.