Cirurgias eletivas retornam com 70% do serviço

Agendamentos são apenas para pacientes fora do grupo de risco

Após cinco meses da pandemia do novo coronavírus no Acre, o Complexo Regulador da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) retorna com 70% do serviço de cirurgias eletivas, que são aquelas que podem aguardar, pois o paciente não corre risco de morte. No início da epidemia no estado, apenas procedimentos de cardiologia, traumatologia e oncologia, considerados essenciais, estavam sendo realizados.

Aos poucos, o Complexo foi se adaptando as instruções da Organização Mundial de Saúde (OMS), buscando estratégias para que os serviços retornassem garantindo segurança ao paciente. Dessa maneira, alguns meses após os primeiros casos de Covid-19, tiveram início às cirurgias na área de ginecologia, mas com algumas restrições.

“Vimos que poderíamos retornar com a ginecologia e, para que isso acontecesse, criamos um termo que o paciente assina, afirmando que mesmo com a situação da pandemia causada pelo coronavírus, quer realizar a cirurgia”, explicou a secretária adjunta de Assistência à Saúde, Paula Mariano.

Além da assinatura do termo, a secretária destaca que a equipe que cuida dos agendamentos das cirurgias entrou em contato apenas com pacientes que não estivessem no grupo de risco para a Covid-19: “Foram contatadas apenas pacientes com menos de 40 anos que não possuíam comorbidades e, também, de acordo com a gravidade do caso”, explicou.

Nas próximas semanas, as cirurgias na área na área de otorrinolaringologia também devem retornar, tendo em vista que a equipe do Complexo já está em contato com as unidades que realizam o serviço.