Terça-Feira, 02 de Junho de 2020
Você está aqui: Home Entretenimento Quentinhas da Redação Chegará uma hora em que Gladson vai ter que optar entre ouvir os conselhos do pai, Eládio Cameli, e do tutor informal, Malheiros, e arriscar colocar a digital com a pressa que o Acre exige
20 Março 2019 Written by 

Chegará uma hora em que Gladson vai ter que optar entre ouvir os conselhos do pai, Eládio Cameli, e do tutor informal, Malheiros, e arriscar colocar a digital com a pressa que o Acre exige

Tudo normal

Os deputados estaduais aprovaram, por unanimidade, a convocação de um grupo de gestores responsáveis pelo planejamento estratégico. A votação unânime não deixa dúvidas de que os parlamentares querem saber quais os rumos foram traçados para os próximos anos. Até aí, tudo normal. É parte do trabalho do parlamento.

Quem?

Quais foram os gestores convidados? O procurador-geral João Setti; controlador-Geral, Oscar Abrantes; o chefe da Casa Civil, José Ribamar; a secretária de Fazenda Semíramis Dias; o secretário de Planejamento, Raphael Bastos.

Freio de mão

Dentro do próprio governo e nas rodas mais restritas de representações classistas, essa turma é conhecida como a “Turma do Freio de Mão”. Exceção feita ao secretário de Planejamento, Raphael Bastos, que foge do perfil. Os demais, tendem a repetir o mantra “não pode; não dá”.

Pressa

O Acre tem pressa. Uma parte da iniciativa privada apostou alto na ideia de uma economia minimamente aquecida. O que, por aqui, significa obras do Governo do Estado em execução. É claro que ninguém defende a ideia de que as obras tenham que ser feitas ao arrepio da lei. Mas ter ao lado um grupo que só diz que “não pode; não dá” não dará ao governador Gladson a agilidade que o eleitor lhe exigiu nas urnas.

Papo reto

Informalmente (e sobretudo), Fazenda, Gabinete Civil e Controladoria Geral são determinações diretas que saíram do gabinete do conselheiro Antonio Malheiros, um homem que tem todas estimativas relacionadas ao Acre para os próximos anos (das mais pessimistas às menos otimistas).

Uma hora

Chegará uma hora em que Gladson vai ter que optar entre ouvir os conselhos do pai, Eládio Cameli, e do tutor informal, Malheiros, e arriscar colocar a digital com a pressa que o Acre exige. E isso sem agredir a legislação. Nenhuma delas. Sobretudo a ambiental. É um desafio e tanto.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081



Fique Conectado