260917-cotidiano-chuva-tresdejulho

Acre é segundo estado do país em incidência de raios

Pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisas Espaciais

Segundo levantamento inédito do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Acre é o segundo estado do país com maior incidência de raios. Na reportagem o Corpo de Bombeiros ajuda a explicar esse fenômeno e também como evitar ser vítima em caso de descarga atmosférica.

O Levantamento inédito realizado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revela valores mais precisos da incidência de raios no país.

O estado com maior densidade é o Tocantins, com 17,1 raios por quilômetro quadrado seguido por Acre e Amazonas (15,8), Maranhão (13,3), Pará (12,4), Rondônia (11,4), Mato Grosso (11,1), Roraima (7,9), Piauí (7,7) e São Paulo (5,2), que são os 10 primeiros estados com maior incidência de raios por quilômetro quadrado por ano.

Segundo o Corpo de Bombeiros, os Estados do norte estão no pico do levantamento por que são regiões de floresta e próximas aos rios. “Essa margem de água em grande quantidade, como o caso de Rio Branco, o Acre, também faz com que seja ambiente propício para as descargas elétricas, uma vez que há muita vaporização e muitas tempestades na nossa região e a própria água favorece essa situação”, explica o assessor de comunicação dos bombeiros, Major Cláudio Falcão.

No Acre, não há uma central de monitoramento de raios, nem mesmo dados estatísticos sobre óbitos ou feridos por esse tipo de evento. O Corpo de Bombeiros trabalha na prevenção. A orientação principal quando o tempo fecha é: buscar abrigo.
“Seja num prédio, dentro de casa, dentro do carro. O importante é não ficar em ambiente aberto por que a descarga atmosférica vai atingir um ponto mais alto. Sendo você no descampado o ponto mais alto, automaticamente será o alvo”, explica Falcão.

A orientação também vale para locais perigosos, onde não se deve buscar abrigo. “Não ficar debaixo de marquise onde próximo tenha objetos metálicos como cerca elétrica, telas. Jamais se abrigar debaixo de árvore, jamais ficar em piscinas, açudes, rios, mares, praias, por que a descarga atmosférica dificilmente não levará quem for atingido à óbito”, afirma.
A descarga atmosférica conhecida popularmente como raio varia de 10 mil a um milhão de volts. Por isso é tão importante não subestimar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*