Acre fica entre os dez estados com mais internações por doenças hídricas no país

Dos 22 municípios, 19 estão em alerta em relação a doenças com diarreia

O Instituto Trata Brasil divulgou essa semana um estudo sobre saneamento e doenças de veiculação hídrica, a pesquisa tem como base o ano de 2019, em que o país registrou 273 mil internações por doenças geradas por esses fatores. O Acre ficou entre os dez estados com mais internações do Brasil.

Nesse ano devido à falta de saneamento básico, o estado passa por um surto de doenças com diarreias. Dos 22 municípios, 19 estão em alerta, ou, em alerta máximo em relação à doença. Além disso, já foram notificados quase 20 mil casos, um crescimento de 32% se comparado ao ano passado. Além disso, duas mortes por conta dessa situação estão sendo investigadas.

Segundo o chefe de Departamento de Vigilância em Saúde do Acre, Gabriel Mesquita, as populações mais carentes não tem acesso a água tratada, tem esgoto a céu aberto no próprio quintal ou esgoto passando por dentro da dos terrenos, então isso ajuda nesse aumento de casos de doenças.

O gasto com saúde nos hospitais públicos com todos os pacientes do estudo foi de R$ 108 milhões. O instituto revela que as regiões com menos oferta de saneamento básico são as que mais apresentaram índices de doenças. Essa informação tem como base o Ministério da Saúde.

“Não é normal você ter diarreia, ou mais de três evacuações nas últimas 24 horas. É preciso buscar o atendimento médico, porque se evoluir rapidamente a pessoa desidrata, e adquire uma sepse e pode acabar morrendo em decorrência disso”, concluiu.
Diante dessa gravidade, o governo do estado criou uma sala de situação de controle de doenças diarreicas.

Com informações de Jardel Angelim

Deixe uma resposta