110517-cotidiano-vacinacao-ascomprefeitura

Acre registra baixa adesão à campanha contra gripe

Nem 30% do público alvo foi imunizado

Com um mês de vigência da campanha contra a gripe no Acre, apenas 29% do público alvo foi imunizado. O resultado é preocupante e exige estratégias dos municípios para alcançar a meta.

A coordenação da campanha de combate a gripe realiza no próximo sábado, dia D de vacinação. Com a mobilização, os gestores esperam melhorar a cobertura vacinal no Acre que está em apenas 29%. A meta é imunizar 225 mil pessoas, mas até agora apenas 49 mil receberam a dose. Faz um mês que a campanha começou e o resultado preocupa.

“Nós estamos pedindo aos municípios que busquem estratégias junto as comunidades, a população, que garanta a vacinação desse público alvo, a fim de não perder o prazo que vai até o dia 26 de maio”, alerta a gerente de imunização do Acre, Dora Holanda.

A melhor cobertura da vacina da gripe no Acre até agora é de Santa Rosa do Purus com 61,45% do público alvo imunizado. O pior resultado é de Acrelandia, com apenas 9% de cobertura vacinal.

Em Rio Branco a cobertura é de 21% e na segunda maior cidade do Estado, Cruzeiro do Sul, o resultado parcial é bem melhor, com 59,5% do público alvo vacinado.

Devem receber a dose, crianças com idade entre 6 meses e 4 anos, idosos, indígenas, trabalhadores em saúde, professores, presidiários, funcionários do sistema prisional, doentes crônicos, e pessoas com doenças que comprometam a imunidade.

Segundo a gerente de imunização, a contraindicação da vacina é para quem tem alergia severa a ovo. O Acre, de acordo com ela, recebeu 247 mil doses. A quantidade é o suficiente e com reserva estratégica. Quanto a eficácia, a gestora afirma que é garantida.

“Desde que seja vacinada, protege contra a infecção do vírus contra a influenza. Já tem indícios de que se você vacina, protege e evita internações, as complicações, por causa dessa doença infecciosa viral”, explica.

Sadraque Gondim, de 75 anos, sabe como ninguém a importância de se vacinar. Ele já foi servidor da saúde e já sentiu no corpo os efeitos da doença quando perdeu uma campanha de vacinação. “No ano passado eu não tomei e já pra chegar a vacina a gripe me pegou e quase que eu morria. Dou muito valor a vacina”, disse.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*