0609-cotidiano-ideb

Acre supera metas do Ideb

Cruzeiro do Sul e Xapuri retrocedem na 8ª série

O Acre superou as metas do Índice de Desenvolvimento de Educação Básica. Esse fato já virou rotina desde 2007, quando o ensino público começou a pontuar acima das “metas projetadas” pelo Ministério da Educação.

Há alguns destaques. A João Mariano, por exemplo, conseguiu nota 5,9. É uma das melhores notas do Norte do país. A escola está localizada no bairro Taquari, uma das comunidades com maior número de famílias pobres e extremamente pobres do Acre.
De forma generalista e simplificada, pode-se dizer que o Ideb é um indicador que relaciona três fatores: a Qualidade do Ensino/Apreensão do Conteúdo/Índice de aprovação. É um tripé que os pedagogos chamam de “relação pedagógica”.

No Acre, a perna mais fraca do tripé é, estranhamente, o “índice de aprovação”. Um dos elementos que dificulta a melhora nesse índice é a evasão alta (abandono). No Ensino Médio, alcança 12%. No 5º ano, é de 4% e no 9º ano de 5%.

O Ideb mostrou que, no Acre, a Qualidade do Ensino é boa; o aluno tem conseguido entender o que o professor expõe, mas isso não teve reflexo na aprovação.

Cruzeiro do Sul e Xapuri registram queda nas notas da 8ª série/9º ano

As cidades de Cruzeiro do Sul e Xapuri são exemplos negativos. Na avaliação da 8ª série/9º ano, Xapuri tirou nota 3,8 quando a meta era de 3,9. Em 2013, tirou 3,9 quando a meta era de 4,3.

Cruzeiro do Sul também retrocedeu na avaliação da 8ª série/9º ano. O Ideb de 2013 tinha a meta projetada de 4,5 (nota mínima). Mas, os gestores públicos foram reprovados e tiraram 4,3. Retrocederam em uma corrida em que cada décimo vale muito esforço.

Acre

Ano                             IdebObservado                             Metas Projetadas

2007                                    3,7                                                             3,4
2009                                    4,2                                                             3,7
2011                                    4,5                                                             4,1
2013                                    5,0                                                             4,4

Destaques

Ano                                                                      Nota                                     Cidade

5º Ano

Getúlio Vargas                                                     6,6                                           Brasileia
Raimundo Gomes                                                6,7                                           Rio Branco
Madre Hildebranda do Prá                                   6,5                                           Rio Branco
Georgete Eluan Kalume                                       6,5                                           Rio Branco
São José                                                              6,4                                           Cruzeiro do Sul
Mozart Donizete                                                   6,3                                           Rio Branco
São Francisco de Assis                                        6,3                                          Rio Branco

9º Ano

João Mariano                                                         5,9                                           Rio Branco
Odilon Pratagi                                                        5,8                                           Brasileia
Raimundo Gomes                                                  5,4                                           Rio Branco
Adalberto Sena                                                      5,3                                           Rio Branco
Colégio Acreano                                                    5,3                                           Rio Branco
São José                                                                5,3                                          Tarauacá

Qual escola ideal para a juventude?

Desde 2009, o Governo do Estado se preocupou em entender os gargalos da Educação e criou uma metodologia própria. Foi construído o Ciap, um mecanismo de auto-avaliação, custeado pelo próprio Acre, que tem demonstrado sintonia com o que aponta o Ideb.

Nesse esforço, os educadores perceberam que para consolidar o quadro das melhorias na Educação seria preciso contar com a ajuda dos próprios alunos. Era preciso criar um novo modelo de escola. E, sem a cooperação dos estudantes seria difícil.

Hoje, as escolas estão com jornadas ampliadas. No horário suplementar são trabalhados temas de forma transdisciplinar. É uma tentativa de que o aluno não tenha uma visão segmentada do aprendizado.

Deixe uma resposta