Aprovados no concurso da Polícia Civil protestam por mais de 24h no Palácio Rio Branco

O grupo, que está no Cadastro de Reserva, reivindica ao governo do Estado a convocação para a próxima etapa do concurso

Por Luanna Lins, para Agazeta.net

Os aprovados do concurso da Polícia Civil que estão no Cadastro de Reserva, aguardando a convocação do governo do Estado, realizam uma manifestação em frente ao Palácio Rio Branco, no Centro da capital, desde a manhã de quarta-feira, 1º. O jovem Jorge Orleanes, que veio de Cruzeiro do Sul, iniciou sozinho um protesto em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) utilizando correntes, e ganhou o apoio de colegas que também aguardam a convocação.

Os candidatos se uniram ao cruzeirense com cartazes e correntes envoltas nos braços. Eles reivindicam a convocação dos aprovados no concurso da Polícia Civil de 2017 para a próxima etapa, que consiste na formação policial. O grupo só pretende sair de lá quando de fato obtiverem uma resposta positiva do governo, o que ainda não aconteceu.

“Nossa situação é bem crítica, tanto é que já estamos com mais de 24h de manifestação, tudo porque o governador não quer fazer uma coisa simples e que está ao seu alcance, que é nos convocar para fazermos a última etapa do concurso. Depois disso, ele pode, de acordo com a necessidade do Estado e com a verba, nos chamar aos poucos. Vim cobrar a palavra que o governador vem dando no decorrer desses últimos três anos, para ver se realmente será feito o que foi prometido”, relatou Orleanes.

“Ontem o governador disse que o Jorge ficaria sozinho pegando sol e chuva, mas ele não está sozinho. Nós aderimos à manifestação e vamos permanecer com ele. A partir de agora, faremos até greve de fome, enquanto o governador não vier aqui conversar conosco. Independente de tudo, nós temos um sonho e esperamos que se concretize”, disse Paulo Henrique, também aprovado no concurso.

Posicionamento

O governador Gladson Cameli (Progressistas) declarou, em suas redes sociais, que encerrou qualquer assunto relacionado às convocações dos cadastros de reserva e que não vai aceitar “pressões politiqueiras” sobre o tema. Ele alega que cumpriu o que prometeu ao convocar mais de mil pessoas de concursos da gestão passada para a Segurança Pública, em três anos de governo.

“Tudo aquilo que prometi na campanha eleitoral referente à convocação dos aprovados nos concursos da Segurança Pública, eu cumpri com a minha palavra. Já foram mais de mil contratações para as nossas polícias em menos de três anos. Sigo com minha consciência tranquila sabendo que sempre fiz tudo dentro da legalidade. Considero esse assunto das convocações dos cadastros de reserva como encerrado e não aceitarei pressões politiqueiras, que têm como objetivo desestabilizar a nossa gestão”, disse a publicação.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*