thumb casademolida

Áreas de risco que tiveram casas demolidas são fiscalizadas

Trabalho teve início há 20 dias; mais de 100 já foram ao chão

Em Rio Branco, cerca de 1000 casas que foram interditadas pela Defesa Civil serão demolidas. O trabalho começou há poucos dias e os imóveis já foram isolados para evitar novas ocupações. No total, mais de 3 mil casas serão demolidas na capital.

Nos bairros em área de risco, o que se ouve nos últimos dias é o barulho de máquinas ou martelos. O trabalho de demolição das casas interditadas pela Defesa Civil iniciou há 20 dias e mais de 100 unidades já foram ao chão.

O trabalho acontece em parceria com vários órgãos e também é coordenado pela Secretaria de articulação institucional. Segundo o secretário, Mário Goes, os moradores das primeiras casas demolidas já foram deslocados para a Cidade do povo. Cerca de 1000 casas foram interditadas pela defesa civil. Muitos moradores ainda habitam no mesmo local, em casos mais críticos, as pessoas estão em aluguel social. “Todas essas casas com intervenção e marcadas com número vermelho foram cadastradas e vão para a Cidade do Povo também”, disse.

As áreas onde houve a intervenção estão cercadas, exceto em casos como o Preventório, onde as casas ficavam no barranco de grande extensão. As áreas de risco receberam placas identificando a medida do Estado, onde o projeto é urbanizar.

A Secretaria de habitação (Sehab) fiscaliza as áreas demolidas diariamente, inclusive aos finais de semana para evitar novas ocupações. Recentemente no bairro Cidade Nova, a irmã de um antigo morador que teve a casa demolida tentou construir uma nova moradia no mesmo terreno. A Sehab interferiu e proibiu a construção.

Morador de área de risco no bairro Cidade Nova há 5 anos, o agente comunitário de saúde, José Maciel não vê a hora de se mudar. Ele também teve a casa interditada e foi incluído em programa habitacional. “Já estou cansado de descer e subir morro. Tá na hora de ir pra um lugar melhor”, disse.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*