050218-cotidiano-capacitacao-ashaninkas

Ashaninkas participam de capacitação sobre sementes

Ideia é certificar e comercializar produtos

O Parque Zoobotânico da Universidade Federal do Acre (PZ) conta com uma novidade. Com mais de 20 anos realizando pesquisas, agora o laboratório de sementes está apto a fazer a certificação e comercialização dos produtos.

Diante disso, começou nesta segunda-feira (5) uma capacitação em gestão de plano de manejo, produção e análise de sementes florestais nativas com a cooperativa Ashaninka do rio Amônia, Marechal Thaumaturgo. A programação segue até a próxima quinta-feira (8) com aulas práticas e teóricas.

“Conseguimos a reforma do laboratório, agora o próximo passo é conseguir mais equipamentos para depois a gente dar esse paço, que é conseguir a certificação do Mapa-Ministério da Agricultura e pecuária, para que a gente possa emitir o laudo de certificação das sementes florestais na região norte,” explicou a coordenadora do laboratório de sementes da Ufac, Marilene Bento.

A partir dessa capacitação, os índios vão saber como deve ser feito o manejo das sementes, com a coleta, beneficiamento e armazenamento. “Pra uma comunidade indígena sair com uma produção de semente pro mercado, se não tiver um laboratório especializado, legalizado, autorizado para certificar essa semente, você não consegue sair. Toda semente que tem hoje no mercado é preciso saber a origem,” comentou Francisco Pianko representante dos Ashaninkas.

Na região dos Ashaninkas há mais de 40 espécies de sementes que podem ser comercializadas. “Você tem desde o mogno, a cerejeira, cedro, é uma lista que não diferencia muito daqui dessa região do Acre pra que tem na nossa comunidade,” completou Pianko.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*