Beneficiários do Bolsa Família devem procurar Cras para recadastramento

Auxílio Brasil, o novo benefício, começa a ser pago no dia 17 de novembro

Por Luanna Lins, para Agazeta.net

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) da capital informou, nesta segunda-feira, 8, que os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) estão realizando o recadastramento para o Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família), e que a mudança requer uma atualização cadastral dos beneficiados, tanto do Bolsa Família, quanto daqueles que estão inseridos no Cadastro Único (CadÚnico).

Conforme divulgado pelo Governo Federal no último mês, a previsão é que o novo benefício seja pago a partir de 17 de novembro. De acordo com a SASDH, são mais de 26 mil famílias cadastradas no Bolsa Família, em Rio Branco, e mais de 44 mil fazem parte do CadÚnico. Outras duas mil famílias estão na fila de espera.

O valor médio do novo programa será de pouco mais de R$ 217, e deve ser pago a 17 milhões de brasileiros que estejam em situação de pobreza. O valor mínimo de R$ 400, divulgado pelo governo, depende da aprovação da PEC dos Precatórios, que aguarda a votação do segundo turno na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Samara Pisano, coordenadora municipal do Bolsa Família, solicita que os beneficiários procurem o Cras mais próximo o quanto antes. “O recadastro é muito importante, junto à atualização da renda, pois muitas famílias, de 2020 para cá, tiveram sua renda alterada por estarem desempregadas ou fazendo algum trabalho extraoficial”, informou ela.

Os Cras aptos a realizarem o atendimento ficam localizados nos bairros Manoel Julião, Rui Lino, São Francisco, Tancredo Neves, Calafate, Cidade do Povo, Santa Helena e Baixada da Sobral. Para se inscrever no CadÚnico, basta se dirigir a um deles, portando a documentação necessária. Veja a lista:

– Carteira de Identidade (RG)
– CPF
– Título de Eleitor
– Carteira de Trabalho
– Certidão de Nascimento ou Casamento
– Comprovante de endereço

Os responsáveis precisam apresentar ainda a certidão de nascimento de crianças e adolescentes dependentes.

Com informações de Márcio Souza

Deixe uma resposta