010317-cotidiano-seisedemais-tvgazeta

Bloco Seis D+ vence Carnaval de rua

Raízes africanas foi tema que garantiu quinto título

A última noite de carnaval contou com o desfile dos quatro blocos carnavalescos de Rio Branco.

O Vila do Fuxico homenageou o clube de futebol Atlético Acreano na abertura do desfile. A história do Galo Carijó do 2º Distrito foi representada por 150 componentes, 3 alas e um carro alegórico, onde crianças representavam o passado e o futuro glorioso do atlético.

O técnico do Galo, Álvaro Migueis, acompanhou a apresentação. “Viemos prestigiar essa homenagem da Vila do Fuxico no carnaval 2017 e parabenizar todos os brincantes e a comissão organizadora”.

O bloco Sambase foi o segundo a desfilar pelas margens do rio Acre. A comunidade carnavalesca homenageou um de seus ilustres moradores, o artista plástico Hélio Melo.

A coreografia da comissão de frente retratou imagens e contos de Hélio Melo, sempre inspiradas no seringueiro e nas lendas amazônicas. O boneco gigante do Mapinguari, o principal protagonista do artista em suas obras, não poderia faltar e também entrou na avenida.

Sem limite foi seguinte a entrar. Com o samba enredo “Chegou o Circo na Gameleira”, os componentes fantasiados de palhaço arrancaram sorrisos do público com muito samba. Charlie Chaplin era o destaque do bloco composto por 300 pessoas.

A bateria do sem limite esbanjou glamour na fantasia. O bloco montou um circo em plena avenida e trouxe até o leão.

O Seis é Demais encerrou o desfile. O bloco que busca o pentacampeonato entrou na pista com os orixás na comissão de frente. Com cerca de 400 participantes, o bloco do bairro Seis de Agosto simbolizou em suas alas a cruzada dos negros traficados da África e escravizados no Brasil.

Baianas, capoeiristas e passistas ecoavam no desfile um grito de liberdade entre os dois continentes pelo fim da discriminação contra o povo negro. Depois de quase 5 horas de desfile, era a vez dos jurados anunciarem o vencedor.

O Vila do fuxico ficou com a quarta colocação. Em terceiro lugar, ficou o Sem Limite. Sambase em segundo, e mantendo o posto de campeão, o bloco Seis é de Mais garantiu o prêmio máximo. “Sem palavras pra agradecer. Esse tema que é uma luta de resistência normal imagina trazer pra avenida a consciência pra sociedade que negro existe sim, negro é luta, é raça, é cor”, disse presidente do bloco campeão, Frank Costa.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*