1009-briga-escola

Briga de alunas expõe crise no processo de Educação

Alunas serão suspensas. Pais já foram informados

Na terça-feira, duas estudantes da Escola Glória Perez, localizada no bairro Xavier Maia, brigaram em frente à escola. Na saída do turno da tarde, elas promoveram uma pancadaria para espetáculo dos colegas que estimulavam com gritos e filmagens de celular.

O vídeo ganhou repercussão nas mídias sociais e expõe um cenário de crise de valores por que passa a Educação (pública e privada). “Brigas entre alunos sempre ocorreram, mas com as novas ferramentas de comunicação isso ganha outra repercussão”, afirmou o diretor de Ensino da Secretaria de Educação, Josenir Calixto.

O diretor da escola Glória Perez, Valmir Nicácio Lima, vai suspender as alunas por um período. A reunião com o Conselho Escolar que será realizada na próxima sexta-feira pela manhã vai decidir quais outras punições serão efetivadas em relação às estudantes.

Os pais das alunas já foram informados do problema. “Essa situação não poderá ser tolerada. Vamos avaliar e punir”, garantiu o diretor. A Escola Glória Perez tem 1.560 alunos em três turnos. Todos são adolescentes.

Os gestores avaliam que uma estratégia eficaz é “trabalhar as habilidades sócio-emocionais”. Traduzindo: “precisamos aprender a conviver com os outros, com as diferenças dos outros, respeitando os outros”, avaliou o gestor. “Essa violência não é um fenômeno exclusivo da escola. A escola reflete os problemas que estão na sociedade”.

Os diretores das escolas reivindicam o retorno do Policiamento Escolar com mais frequência. O diretor de Ensino da SEE relativiza. “É importante, mas enquanto tivermos precisando da polícia para garantir a organização e a segurança no ambiente escolar isso significa que estamos falhando”, avalia Calixto.

{youtube}dRio3gZ8jag{/youtube}

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*