050319-cratera-ramal-do-picapau

Bueira ameaça isolar moradores do ramal do Pica Pau

Erosão tomou conta da rua e comunidade improvisou “ponte”

Há uma semana a situação do ramal Pica Pau, na estrada do Amapá, em Rio Branco, já não estava muito boa, tinha desbarrancado dos dois lados, mas os moradores ainda conseguiam se locomover. Hoje não é mais possível atravessar o ramal, já que o buraco tomou conta da rua.

“Agora está um pouco mais difícil por conta da escuridão que fica durante a noite, as pessoas não enxergam o buraco. Tiveram duas pessoas que passaram pelo local desavisada, um casal caiu no buraco com a moto e tudo, eles tiveram a ajuda de um vizinho que ia passando, mas a mulher está até machucada devido à queda”, afirma a moradora Lucia.

A moradora Lucia diz que eles improvisaram uma passagem com tábua para as pessoas passarem. “Vai ter um momento que não vamos ter mais como passar, quando chove fica pior ainda. A gente teve sorte de São Pedro não mandar chuva para o local porque complica tudo”, explica.

Os moradores fazem este apelo às autoridades para que tomem as providências e assim que possível resolva a situação.

Mais de mil famílias moram no final do ramal, além disso, no local também tem a lápide de Plácido de Castro. “Já que aqui é um ponto para ir para um sítio histórico, porque não recebe a devida atenção? Há mais de quatro anos que estamos abandonados aqui, a situação fica cada vez pior”, diz a moradora Lucia.

Na próxima semana começam as aulas e os moradores se preocupam com situação das crianças. “O que vamos ter que fazer quando não tiver mais como passar no ramal? O pai vai ter que pular, colocar a criança no ombro e sair? Não sei como vamos resolver”, conclui Lucia.

 

 

Erosão toma conta de rua no ramal do Pica Pau

Moradores improvisaram “ponte” para passar pelo local

Há uma semana a situação do ramal Pica Pau, na estrada do Amapá, em Rio Branco, já não estava muito boa, tinha desbarrancado dos dois lados, mas os moradores ainda conseguiam se locomover. Hoje não é mais possível atravessar o ramal, já que o buraco tomou conta da rua.

“Agora está um pouco mais difícil por conta da escuridão que fica durante a noite, as pessoas não enxergam o buraco. Tiveram duas pessoas que passaram pelo local desavisada, um casal caiu no buraco com a moto e tudo, eles tiveram a ajuda de um vizinho que ia passando, mas a mulher está até machucada devido à queda”, afirma a moradora Lucia.

A moradora Lucia diz que eles improvisaram uma passagem com tábua para as pessoas passarem. “Vai ter um momento que não vamos ter mais como passar, quando chove fica pior ainda. A gente teve sorte de São Pedro não mandar chuva para o local porque complica tudo”, explica.

Os moradores fazem este apelo às autoridades para que tomem as providências e assim que possível resolva a situação.

Mais de mil famílias moram no final do ramal, além disso, no local também tem a lápide de Plácido de Castro. “Já que aqui é um ponto para ir para um sítio histórico, porque não recebe a devida atenção? Há mais de quatro anos que estamos abandonados aqui, a situação fica cada vez pior”, diz a moradora Lucia.

Na próxima semana começam as aulas e os moradores se preocupam com situação das crianças. “O que vamos ter que fazer quando não tiver mais como passar no ramal? O pai vai ter que pular, colocar a criança no ombro e sair? Não sei como vamos resolver”, conclui Lucia.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*