0109-cotidiano-capixaba

Capixaba: sem aumento do FPM por falta de 16 moradores

Porto Walter terá FPM maior que Capixaba, segundo IBGE

Faltaram apenas 16 moradores para que o município de Capixaba mudasse de faixa do coeficiente que determina os valores de repasses mensais do Governo Federal, como o FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Como a quantidade não foi suficiente para a mudança de faixa, o município vai perder alguns milhões de reais até o ano que vem quando será realizada nova estimativa da população.

Na semana passada, o IBGE anunciou a estimativa da população do Acre que atualmente está com 790.101 moradores. De 2013 para 2014, o aumento populacional foi de 1,76%.
Em alguns municípios o crescimento da população chamou a atenção. Os quatro mais pobres foram os que mais tiveram densidade populacional, a média maior que a do Estado.

Em Santa Rosa, o crescimento foi de 4,08% ficando a população em 5.593; Marechal Thaumaturgo 3,30%, agora tem 16.380 moradores; Rodrigues Alves 3,18%, o que representa uma população de 16.475 e Porto Walter com 3,06% de aumento ficando com 10.453 moradores.

Segundo o diretor do IBGE no Acre, Marco Fábio, a estimativa da população não é apenas para saber o crescimento demográfico. “Existem coeficientes para se saber qual o repasse para os municípios, e isso pode ajudar os prefeitos a conseguir mais recursos”, completou.

Cidades que terão mais recursos

Duas cidades acrianas mudaram de faixa e vão passar a receber mais FPM. Acrelândia passou da faixa 0.8 para 1.0 e Porto Walter de 0.6 para 0.8, o que representa alguns milhões a mais no orçamento.

Para dissabor da prefeitura de Capixaba, o município teve um crescimento populacional de 3,40%, mas não foi suficiente para a pulada de faixa.

Capixaba está com 10.170 moradores. Se fosse 10.186, 16 pessoas a mais, sairia da faixa 0.6 para 0.8. Até Porto Walter, isolada no meio da floresta, vai ter mais recursos que a cidade que fica na BR-317 na ligação do Acre com o Peru.

Deixe uma resposta