180117-cotidiano-cemitério-lotado

Cemitério do município de Sena Madureira está lotado

Caixões são enterrados em lugares improvisados

Construído há 112 anos o cemitério São João Batista, no município de Sena Madureira, distante 144 km da capital, não tem mais condições de realizar novos sepultamentos.

A superlotação obriga coveiros a improvisar. Eles são obrigados a enterrar duas ou até três pessoas na mesma cova. Um caixão em cima do outro.

O prefeito da cidade diz se envergonhar da situação e afirma que já solicitou verba junto ao governo federal para a construção de um novo cemitério que deverá ser entregue apenas em 2018. Enquanto isso ele promete fazer um o puxadinho entre o muro e a calçada do cemitério para aumentar o número de sepulturas.

Quem tem dinheiro ainda consegue levantar o chamado “apartamento” onde são colocados até quatro caixões um sobre o outro.

O que não é o caso de duas irmãs que a nossa equipe encontrou chorando pela morte de um familiar. Além da dor de perder um parente, o fato de enterrá-lo no corredor do cemitério e de forma improvisada é sinônimo de humilhação.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*