Banner Preventorio

Leptospirose: moradores do Preventório estão com medo

No último domingo, uma pessoa morreu com suspeita da doença

Moradores de uma das regiões do bairro Preventório protestaram na manhã desta segunda-feira contra a prefeitura de Rio Branco que prometeu retirar as famílias das áreas insalubres e não cumpriu. Os moradores apresentavam o nome da pessoa que pode ser a terceira vitima da leptospirose esse ano. O lavador Wilhiam Maçal de Souza faleceu neste domingo, 6, com todos os sintomas da “doença de rato”.

A prefeitura confirmou duas mortes só este ano causadas pelo vírus da leptospirose. A doença tem os sintomas parecidos com a dengue e é transmitida quando a urina do rato entra em contato com a corrente sanguínea da pessoa.

Com a cheia do rio Acre, muitas pessoas entraram em contato com a água contaminada e por isso os números são tão altos. Este ano já foram registrados 129 casos da doença.

No caso de Wilhiam, a Secretaria de Saúde não confirmou se a causa foi a leptospirose. Ele morava num barraco do bairro Preventório, numa região que, independente da cheia do rio Acre, está sempre cheia de lama. O mato e o lixo ajudam na proliferação dos ratos. A água está sempre contaminada. Ela escorre aos lados e embaixo dos barracos. Os canos dos esgotos estão apontados para quem mora na parte baixa do barranco. Foi nesse ambiente que Willianm pode ter contraído a leptospirose. Uma prima da vítima está com os mesmos sintomas, há 15 dias não para de ter febre.

Os moradores do Preventório estão assustados. Eles vivem em condições absurdas. Entram e saem de suas casas em escadas improvisadas. O ambiente é perfeito para os ratos. Não é fácil manter a higiene. Os barrancos estão caindo. A defesa civil numerou as casas para a retirada das famílias, mas segundo os moradores ficou na promessa, assim como a construção de uma escada. Em algumas partes a madeira caiu e o jeito é colocar o pé na lama. As tábuas que ficaram estão soltas. Para chegar até um corredor que dá acesso às ruas que ligam ao centro da cidade é preciso se aventurar numa outra escada, que, por ironia do destino foi construída pelo Wilhiam, que faleceu neste domingo.

Deixe uma resposta