011117-cotidiano-lojasdespejo-tvgazeta

Comerciantes têm 30 dias para deixar imóvel

Ação da prefeitura da Capital foi ganha na Justiça

Os proprietários de três imóveis que ficam à margem do Rio Acre, na região do Mercado Elias Mansour, assim que forem notificados, terão 30 dias para abandonar os comércios. Uma decisão da Justiça favorável à Prefeitura de Rio Branco permitiu a demolição dos imóveis que ficam em áreas de risco.

Em um dos comércios, encontramos o Sebastião Inácio, que nem acreditou na noticia que levamos. No pequeno ponto comercial onde trabalha há 15 anos, consegue o dinheiro para manter a família. A prefeitura conseguiu a liberação para derrubar os imóveis em mais dois processos contra os comércios: Agropesca e Pensão da Rai.

O que revoltou os comerciantes é o valor da indenização determinado na sentença. Na Casa da Castanha, onde o Sebastião trabalha é de R$ 3.880,00. Na Pensão da Rai, R$ 20 mil e na Agropesca R$ 16.100,00. “Com esse dinheiro vamos fazer o quê?”, perguntou Juliana Honório, uma das comerciantes afetadas.

Os pontos comerciais ficam em áreas de risco e os processos que pedem a demolição são de 2013, o mesmo ano em que um grande incêndio destruiu 12 pontos comerciais na mesma área. Hoje, o local virou um estacionamento e a prefeitura agora quer retirar todos os pontos que podem desmoronar a qualquer momento.

O comerciante Cristino Bandeira ainda não está na lista dos imóveis que serão demolidos, mas está com medo de ser obrigado a sair e receber uma pequena indenização. “São 35 anos trabalhando no mesmo local, cheguei a pedir outro ponto para a prefeitura, mas nada foi oferecido. Não dá para sair de mãos abanando”, reclamou.

A prefeitura informou que ainda não foi notificada pela Justiça. Entretanto, fará uma nova inspeção no local e conversará com os comerciantes afetados.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*